segunda-feira, 6 de junho de 2011


Infarto do Coração


Existem muitos infartos que podem ocorrer em muitas partes do corpo, como coração, pulmões, cérebro e membros. O infarto consiste na obstrução do vaso sanguíneo que supre essa parte do corpo (isquemia). Segue-se então, um mau funcionamento desse órgão ou membro afetado. Consulte a morte do órgão em questão.
Fala-se de infarto do miocárdio, quando o órgão afetado é o coração, e acidente vascular cerebral (AVC), quando é o cérebro.
Se o dano for menor, há a instalação de uma insuficiência cardíaca. Mas às vezes, a extensão dos danos é muito grande, causando uma parada cardíaca.
Neste dossiê, vamos apenas tratar do infarto de miocárdio, com suas causas e consequências. Vamos tratar principalmente dos métodos de prevenção do infarto do miocárdio. Na verdade, a doença cardíaca representa um fator de mortalidade significativo. Além, dos fatores genéticos que não podem ser alterados, existem fatores modicáveis, como o estilo de vida, prestando atenção para a alimentação e a atividade física. Assim, é possível prevenir o infarto do miocárdio.

Definição de infarto do coração


O infarto do miocárdio ocorre devido à uma obstrução da artéria que vasculariza o coração, chamada de artéria coronária. O resultado desta oclusão é a morte do tecido do coração (necrose isquêmica), uma vez que este não é mais irrigado, mais “alimentado” com sangue rico em oxigênio. Quando uma pequena parte do coração é atingida, pode-se estabelecer uma insuficiência cardíaca. Por outro lado, se a necrose for significativa, ocorre uma parada cardíaca, muitas vezes fatal.
Os sintomas de um infarto do coração são muitos semelhantes aos da angina do peito. Mas durante o infarto, a circulação coronária está completamente parada, ao contrário da angina, no qual o fluxo sanguíneo coronariano é reduzido.
Em casos de infarto do coração, o objetivo é aliviar a dor, mas principalmente, salvar a vida do paciente. Uma vez que o paciente tiver melhorado, ele terá que seguir com uma administração de medicamentos adequada para prevenir complicações e recidivas.
Parentes também podem ser avisados para saber reconhecer rapidamente um início de infarto do coração, para agir rapidamente, e não apenas salvar a vida dos pacientes, mas também para prevenir as complicações de um infarto do coração.
Durante o infarto do miocárdio, a hospitalização de emergência ainda é necessária.

Causas do infarto do coração


A principal causa de infarto do miocárdio é a trombose coronariana de um músculo do coração. A artéria do coração é completamente bloqueada, não podendo levar sangue para o coração. O músculo cardíaco não é irrigado em algumas áreas, o tecido morre e torna-se necrótico.
Os fatores de risco para o infarto do coração são divididos em fatores não modificáveis (idade, sexo, genética) e fatores de risco modificáveis (estilo de vida: obesidade, sedentarismo, hipertensão, diabetes, colesterol alto, alimentação, tabagismo e estresse).
Assim, melhorar os fatores de risco modificáveis do infarto do coração, é parte de um programa de prevenção da doença.

Pessoas de Risco


As pessoas susceptíveis a desenvolverem um infarto do coração sã homens, idosos e pessoas cuja família já viu um membro dessa família sofrer de um infarto do coração antes dos 60 anos.
Isso é chamado de fatores de risco não modificáveis do infarto do miocárdio:
- Idade;
- Sexo;
- Hereditariedade;
Há também os fatores modificáveis que influenciam a ocorrência de um infarto do miocárdio. Estes fatores são:
- Sedentário;
- Alimentação;
- Tabagismo;
Stress.

Idade e Sexo
Homens acima de 50 anos e mulheres depois dos 60 anos podem mais facilmente sofrer de um infarto do miocárdio.
De fato, as mulheres, por causa dos estrogênios (hormônios femininos) estão protegidas até a menopausa contra o infarto do miocárdio – o estrogênio possui um efeito protetor sobre as artérias coronárias. No entanto, após a menopausa, ocorre uma redução na produção de estrogênio, podendo as mulheres além dos 60 anos também sofrerem de infarto do miocárdio.
Hereditariedade
Há famílias de “cardíacos” que são mais propensos a terem um infarto do miocárdio. Essas pessoas devem prestar particular atenção ao estilo de vida para evitar um infarto do coração.
Sedentarismo
O sedentarismo favorece a obesidade, que então pode causar o surgimento de um infarto do miocárdio.
Alimentação
As gorduras devem ser evitadas por causa do seu colesterol e das gorduras neutras (triglicerídeos). Estas gorduras consumidas em excesso, são depositadas progressivamente nas artérias, causando ao longo do tempo, a aterosclerose, que é a causa do infarto do miocárdio. Não é necessário parar de comer coisas gordurosas, mas deve-se limitar seu consumo.
Evite o álcool. No entanto, o vinho tinto tem um efeito protetor sobre os vasos sanguíneos do coração, mas deve-se tomar apenas de 1 a 2 taças de vinho tinto por dia!
Tabagismo
O tabagismo é um fator de risco conhecido para a doença cardíaca, que favorece a aterosclerose nas artérias do coração. O fumante é exposto a um risco três vezes maior de sofrer um infarto do miocárdio do que os não fumantes.
Não é só o fumo que prejudica a saúde dos fumantes, mas também representa um fator de risco a exposição ao fumo passivo.
Hipertensão arterial
A hipertensão arterial sobrecarrega as artérias. Isso provoca um alto risco de aterosclerose e, portanto, do infarto do miocárdio. Ao medir a pressão arterial, são realizadas duas medições, a medição das pressões sistólica e diastólica.
A pressão sistólica deve estar entre 120 e 140 (mmHg).
A pressão diastólica deve estar entre 80 e 90 (mmHg).
Note que uma medida no dia não significa muito, devido ao fato da pressão variar ao longo do dia. Se a pressão arterial ultrapassar os limites em várias ocasiões, falamos de hipertensão.
Diabetes
A Diabetes é uma doença insidiosa, silenciosa e pode levar a várias complicações, tais como, aterosclerose e infarto do coração. Portanto, prevenindo-se a diabetes (tipo II), reduz assim os problemas cardiovasculares.
Sobrepeso – Obesidade
Embora menos da metade da população brasileira esteja com excesso de peso, esse é um fenômeno que afeta uma grande parte dos brasileiros. O excesso de peso é um fator de risco modificável para a doença cardíaca coronariana.
Deve-se levar em conta não somente o IMC (Índice de Massa Corporal), mas a circunferência abdominal também. O IMC, que é a relação entre o peso e a altura ao quadrado, deve estar entre 19 e 25, enquanto que a circunferência abdominal em mulheres não deve exceder 88 cm e, nos homens deve ser inferior a 102 cm.
IMC de 19 a 25: peso normal, situação ideal
IMC de 25 a 30: sobrepeso
IMC de 30 a 35: obesidade
IMC acima de 35: obesidade mórbida.
Stress
O stress pode aumentar a pressão arterial e de repente ser um fator de risco para o infarto do miocárdio. Nós não estamos falando do stress “normal”, o que você sente antes de subir no palco, mas do stress vivido constantemente, causado por estresse psicológico e nervosismo diário.

Sintomas do infarto do coração


Os sintomas do infarto do coração são muito semelhantes aos da angina, mas eles duram por mais tempo e são mais intensos.
Infarto, detecção dos sintomas
Um infarto do coração é visto como segue;
- Dor no peito;
- A dor irradia para o ombro e braço esquerdo;
- A dor dura mais de 15 minutos, apesar de um descanso;
- A dor persiste mesmo após administrar nitroglicerina;
- Dificuldade em respirar;
- Palidez;
- Náuseas;
- Às vezes, perda de consciência.
Infarto, as reações que salvam
A velocidade de ação é o fator mais importante no resgate de uma pessoa que sofre um infarto do coração. Você deve:
- Chamar uma ambulância rapidamente;
- Dar seu nome, localização;
- Elevar a parte superior do corpo do paciente, utilizando almofadas, por exemplo;
- Ajudá-lo a respirar, removendo tudo o que possa embaraça-lo, gravata…

Diagnóstico do infarto do coração


O diagnóstico do infarto do miocárdio é feito pela anamnese dos sintomas da doença, se ainda assim não for suficiente, é feito então um eletrocardiograma (ECG).
Sintomas
Os sintomas de um infarto do miocárdio são geralmente caraterísticos:
- A dor tipo angina no peito (sensação de aperto na região do tórax);
- A dor persiste mesmo em repouso e dura mais de 20 a 30 minutos.
Eletrocardiograma (ECG)
O eletrocardiograma (ECG) vai confirmar o diagnóstico do infarto do miocárdio. Na verdade, as ondas descritas no eletrocardiograma, características de um infarto do coração, apresentam uma atividade anormal do coração.
Análises Biológicas
Por exames de sangue, é possível encontrar proteínas específicas do músculo cardíaco, as CK-MB e troponina I ou T, pelo menos seis horas após um infarto do coração. Esta análise permite confirmar o diagnóstico. Nunca devemos aguardar os resultados desta análise para iniciar um tratamento contra o infarto do miocárdio. De fato, durante o infarto do coração o paciente “luta” contra o tempo. É necessário agir rapidamente para evitar as sequelas da doença e salvar a vida do paciente.

Complicações do infarto do coração


As complicações de um infarto do coração sã
- A ocorrência de insuficiência cardíaca;
- A parada cardíaca;
- Morte.

Tratamento do infarto do coração


O tratamento do infarto do miocárdio é diferente na crise aguda e na prevenção de uma recidiva.
Crise Aguda do infarto do coração
Durante a crise aguda do infarto do miocárdio, é fundamental agir rapidamente. A velocidade do tratamento determinará não só a sobrevivência do paciente, mas também da repercussão das eventuais sequelas.
Um infarto do coração é uma emergência médica. É sempre, necessário chamar uma ambulância, para que o paciente seja rapidamente atendido e seja levado ao hospital. Assim, quando alguém se queixa de dor no peito que irradia para o braço esquerdo e ombro, deve-se chamar imediatamente uma ambulância.
Depois de um eletrocardiograma, o médico dará ao paciente medicamentos de emergência. Em geral, o tratamento medicamentoso é feito com a administração de analgésicos, tranquilizantes para acalmar a ansiedade (diazepam), injeção local de trombolíticos para dissolver o coágulo de sangue, aspirina e clopidogrel 300mg. O médico também utiliza derivados de nitratos que são antiarrítmicos.
Em seguida, é possível efetuar uma angioplastia. A angioplastia consiste na dilatação da artéria entupida, com a ajuda de um balão que infla. O médico coloca um stent, que é um objeto metálico que permite manter a estrutura da artéria, fazendo com que o sangue flua e irrigue o coração.
Tratamento básico após um infarto do coração
Uma vez que, o paciente tenha se recuperado, ele terá que se cuidar e fazer uso de uma medicação adequada para prevenir a recorrência do infarto do miocárdio.
O médico irá prescrever como tratament aspirina, clopidogrel 75mg (antiplaquetário), ou heparina que impede a coagulação sanguínea (anticoagulante), um betabloqueador ou inibidor da enzima conversora de angiotensina (ECA) para diminuir a pressão sanguínea, e bem como as estatinas ou fibratos para prevenir o desenvolvimento de placas ateroscleróticas devido ao excesso de colesterol. Este tratamento irá prevenir a trombose e, portanto, a recorrência do infarto do miocárdio.
Além da medicação, será necessário reeducar o paciente, ou seja, corrigir os maus hábitos e dar noções de estilo de vida saudável. De fato, após um infarto do miocárdio, o coração fica enfraquecido, muitas vezes levando à uma insuficiência cardíaca. É possível dar digoxina para fortalecer o músculo cardíaco.
Deve-se considerar uma reabilitação alimentar com o estabelecimento de atividades físicas adequadas, geralmente sob supervisão médica. Na verdade, após um infarto do miocárdio, o coração não consegue mais trabalhar com a mesma intensidade de antes. Deve-se, portanto, não sobrecarregar o coração com atividades que exijam muito esforço.

Conselhos de tratamento do infarto do miocárdio


É fundamental durante o tratamento do infarto do coração, tomar a medicação com rigor, para evitar recorrências. Além disso, é necessário fazer uma consulta regularmente ao médico. O médico vai fazer exames para monitorar a condição do paciente e ajustar seu tratamento se necessário.
- Se o paciente fizer uso de muitos medicamentos, é possível realizar um planejador semanal, para auxiliar no cumprimento do tratamento, ou seja, garantir uma tomada adequada e regular da medicação;
- Além do tratamento medicamentoso, as mudanças no estilo de vida são recomendadas. Em um paciente que sofreu um infarto do coração, é necessário ver com seu médico as atividades físicas adequadas, pois o coração fica enfraquecido após um infarto do miocárdio. Portanto, não faça esportes bruscos ou que irão fatigar o coração.

Conselhos de prevenção do infarto do coração


Uma vez que, existem fatores de risco modificáveis do infarto do miocárdio, é possível agir sobre eles. Lembre-se que os fatores de risco modificáveis do infarto do miocárdio são:
- Sobrepeso, obesidade;
- Alimentação;
- Sedentarismo;
- Tabagismo;
- Hipertensão;
- Diabetes;
- Hipercolesterolemia;
- Stress.
No que diz respeito a doenças como a hipercolesterolemia, diabetes ou hipertensão, se elas forem diagnosticadas, deve-se fazer um tratamento medicamentoso para trata-las. Para a hipercolesterolemia e hipertensão, uma alimentação adequada pode reduzir ambas as doenças, promovendo uma boa atividade cardíaca.
Obesidade, sobrepeso
A obesidade e o excesso de peso pode sobrecarregar o coração, e cada vez mais, o excesso de gordura pode se acumular em vasos sanguíneos e causar a arteriosclerose.
A obesidade é medida pelo IMC, que fica entre 19 e 25. Assim, alguém medindo 1,65 metros, deve pesar no máximo 68 Kg.
Para fazer isso, é inútil acreditar em dietas da moda que reduzem o peso de uma só vez. Isso pode causar o efeito ioiô. O ideal é diminuir gradualmente a alimentação até que chegue ao peso ideal, para que esse seja mantido. Para isso, devemos prestar atenção à dieta, fazer exercícios regularmente e beber muita água.
Alimentação
Uma alimentação baixa em ácidos graxos saturados, e com antioxidantes favorece a saúde das artérias coronárias que ficam menos obstruídas. Devemos privilegiar o uso do óleo de oliva e canola, em detrimento ao óleo de girassol e manteiga. O vinho tinto também é bom para a saúde, desde que não seja consumido mais de duas taças por dia.
Preconizamos também uma alimentação rica em frutas, legumes, e peixe ao invés de carne.
Uma alimentação respectiva à pirâmide alimentar evita o sobrepeso. Assim, devemos comer legumes, cereais e frutas e, devemos diminuir o consumir de carne, de manteiga (contém ácidos graxos saturados), de gema de ovo, vísceras e frutos do mar (ricos em colesterol).
Em uma pessoa com hipertensão, deve-se evitar o excesso de sal em sua comida, porque o sal tende a aumentar a pressão sanguínea.
Nunca devemos nos privar. A privação remove a alegria. Mas é preciso moderar o consumo de alimentos ricos em colesterol, ácidos graxos saturados e sal.
Sedentarismo – Atividade Física
A atividade física não só ajuda a reduzir a obesidade, mas tem também um efeito benéfico sobre a atividade cardíaca e o humor em geral, através da liberação de endorfinas.
Como qualquer coisa em excesso, a atividade física também pode ser prejudicial em excesso. Não se deve sobrecarregar e sim manter uma regularidade. Então, faça atividade física por 30 minutos três vezes por semana, que será mais benéfica que uma atividade de duas horas, uma vez por semana.
Tabagismo
O tabagismo é um fator de risco para as doenças cardiovasculares. É, portanto aconselhável parar de fumar. Para isso, existem muitas soluções, tais com
- Os adesivos de nicotina;
- Gomas de mascar com nicotina;
- Os inaladores de nicotina para manter o “gesto de fumar”;
- Os cigarros eletrônicos sem nicotina.
O risco de doença cardiovascular após o fumo desaparece completamente após cerca de 3-5 anos após a cessação do tabagismo. Seu corpo e o ambiente (tabagismo passivo) vão agradecer por esta sábia decisão.
Stress
Pratique esportes e exercícios de relaxamento que ajudam a reduzir o stress e contribuem para uma vida melhor. Um estilo de vida saudável também é aconselhável, com
- Evitar beber muito café e outros estimulantes;
- Sair, divertir;
- Tirar um tempo para si;
- Cerca-se de pessoas positivas;
- Cerca-se de livros que promovam o autodesenvolvimento;
- Manter uma alimentação saudável;
- Tirar um tempo para comer;
- Fazer caminhadas;
- Aprender a esvaziar e não guardar rancor, tristeza, saiber falar.
Sono e infarto do coração
De acordo, com um estudo publicado em 2010, inclusive muito interessante, dormir sete horas por noite, pode limitar o risco de infarto do coração, já que dormir mais ou menos que sete horas apresentou um risco estatisticamente maior neste estudo.
Fatores de risco não modificáveis
Sobre os fatores de risco não modificáveis (idade, sexo, história familiar), é essencial conhecer os fatores de risco e aproveitar as campanhas de rastreio existentes. O seu médico ou farmacêutico irá fazer perguntas certas e fazer o teste de diabetes, colesterol e pressão arterial, para uma primeira avaliação do risco de doenças cardiovasculares. Além disso, a circunferência abdominal, o peso e o IMC (Índice de Massa Corporal), também serão medidos. Considerando os resultados obtidos, a pessoa será orientada pelo médico, se necessário, iniciar um tratamento. Na verdade, a hipertensão, o colesterol alto e a diabetes são chamados de “doenças silenciosas”. Portanto, a detecção precoce, é essencial para tratarmos melhor essas doenças, e também para prevenirmos complicações cardiovasculares.
As mulheres graças ao estrógeno possuem menor risco de sofrer um infarto do coração. Esses hormônios femininos realmente oferecem uma boa proteção das artérias coronárias. Por outro lado, após a menopausa, há uma diminuição da produção de estrógeno, o que causa muitos inconvenientes, como o aumento do risco de infarto do coração e maior risco de osteoporose. Assim, as mulheres não devem deixar de também adotar regras e modificações no estilo de vida, para prevenir um infarto do coração.

2 comentários:

  1. Parabéns! Adorei o post! Exatamente como aconteceu comigo, o tratamento e tudo mais! Descrição bastante detalhada e esclarecedora...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada querida Lucy!
    A ideia é exatamente a de levar informação e esclarecimento às pessoas, afinal, a prevenção ainda é o melhor remédio, não é mesmo?
    Seja sempre bem vinda!!!

    ResponderExcluir