quarta-feira, 31 de dezembro de 2008


A FORÇA DA PALAVRA

Por Carlos Bernardo González Pecotche (Raumsol)

Um dos elementos que mais freqüentemente utiliza o homem, tanto para fazer-se entender como para estabelecer uma relação harmônica com seus semelhantes, é a palavra, que é condutora do pensamento individual e contribui em muito para a formação do próprio conceito.

A importância de que ela se reveste, ou melhor, que ela assume na vida, evidencia-se em múltiplas formas, e quanto mais respeitável é a posição do que fala, tanto mais confiança inspira sua palavra. Se não sofrer modificação alguma, se manterá como elemento de juízo para prestigiar o conceito de quem a pronuncia.

Quando a palavra é pronunciada para manifestar uma convicção, definir uma atividade ou uma situação, ou expressar um sentimento, e leva em si o sadio propósito de oferecer aos demais a oportunidade de conhecer o pensamento que a anima, tende sempre a superar o conceito de quem a emite.

Quem pensa bem se esforça em falar melhor.


Outra coisa acontece com aquela que é pronunciada com a intenção de enganar ou que surge sem reflexão, num impulso fugaz, porquanto costuma afetar ou ferir os que a ouvem, ainda que nada tenham a ver com ela. O só fato de escutá-la lhes causa mal-estar, contribuindo,conseqüentemente, para que se elabore um juízo adverso a respeito de quem a expressou.

Quem pensa bem se esforça em falar melhor. Será benéfico, então, aprender a sincronizar os movimentos da mente com a expressão oral, de modo que a palavra seja a condutora fiel do pensamento. Isso fará com que a palavra se revista de interesse, contrariamente ao que ocorre quando se fala sem pensar no que é dito, pois, nesse caso, a palavra costuma parecer vazia ou sem sentido.

Se quiséssemos apresentar uma imagem que refletisse com mais vívido colorido o mecanismo da palavra, teríamos de imaginá-la como um vagão que, à medida que passa pelo conduto vocal, é preenchido com o pensamento que formará seu conteúdo.

Em síntese, a palavra é um dos elementos com que o homem pode conquistar sua felicidade ou causar seu infortúnio, segundo sejam as manifestações de seu próprio espírito.

Trechos extraídos de artigo da Coletânea da Revista Logosofia, Tomo III, pág. 221

domingo, 28 de dezembro de 2008


CURIOSIDADES SOBRE O ANO NOVO

Você sabia que o Ano Novo se consolidou na maioria dos países há 500 anos? Desde os calendários babilônicos (2.800 a.C.) até o calendário gregoriano, o reveillon mudou muitas vezes de data.

A primeira comemoração, chamada de "Festival de ano novo" ocorreu na Mesopotâmia por volta de 2.000 a.C. Na Babilônia, a festa começava na ocasião da lua nova indicando o equinócio da primavera, ou seja, um dos momentos em que o Sol se aproxima da linha do Equador onde os dias e noites têm a mesma duração.

No calendário atual, isto ocorre em meados de março (mais precisamente em 19 de março, data que os espiritualistas comemoram o ano-novo esotérico).
Os assírios, persas, fenícios e egípcios comemoravam o ano-novo no mês de setembro (dia 23). Já os gregos, celebravam o início de um novo ciclo entre os dias 21 ou 22 do mês de dezembro.

Os romanos foram os primeiros a estabelecerem um dia no calendário para a comemoração desta grande festa (753 a.C. - 476 d.C.) O ano começava em 1º de março, mas foi trocado em 153 a.C. para 1º de janeiro e mantido no calendário Juliano, adotado em 46 a.C. Em 1582 a Igreja consolidou a comemoração, quando adotou o calendário gregoriano.

Alguns povos e países comemoram em datas diferentes. Ainda hoje, na China, a festa da passagem do ano começa em fins de janeiro ou princípio de fevereiro. Durante os festejos, os chineses realizam desfiles e shows pirotécnicos. No Japão, o ano-novo é comemorado do dia 1º de janeiro ao dia 3 de janeiro.

A comunidade judaica tem um calendário próprio e sua festa de ano-novo ou Rosh Hashaná, - "A festa das trombetas" -, dura dois dias do mês Tishrê, que ocorre em meados de setembro ao início de outubro do calendário gregoriano. Para os islâmicos, o ano-novo é celebrado em meados de maio, marcando um novo início. A contagem corresponde ao aniversário da Hégira (em árabe, emigração), cujo Ano Zero corresponde ao nosso ano de 622, pois nesta ocasião, o profeta Maomé, deixou a cidade de Meca estabelecendo-se em Medina.

Contagem decrescente os últimos minutos do dia 31 de Dezembro seja: 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1. Feliz 2004!!!!!! A passagem de Ano Novo é o fim de um ciclo, início de outro. É um momento sempre cheio de promessas. E os rituais alimentam os nossos sonhos e dão vida às nossas celebrações. Na passagem de Ano Novo, não podemos deixar de aproveitar a oportunidade para enchermos o coração de esperança e começar tudo de novo. E para que a festa corra muito bem, há algumas tradições e rituais que não podemos esquecer...

- Fogos e barulho. No mundo inteiro o Ano Novo começa entre fogos de artifício, buzinadas, apitos e gritos de alegria. A tradição é muito antiga e, dizem, serve para espantar os maus espíritos. As pessoas reúnem-se para celebrar a festa com muitos abraços.

- Roupa nova. Vestir uma peça de roupa que nunca tenha sido usada combina com o espírito de renovação do Ano Novo. O costume é universal e aparece em várias versões, como trocar os lençóis da cama e usar uma roupa de baixo nova.

Origem do Ano Novo

As comemorações de Ano Novo variam de cultura a cultura, mas universalmente a entrada do ano é festejada mesmo em diferentes datas.

O nosso calendário é originário dos romanos com a contagem dos dias, meses e anos. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado em 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera.

As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1º de Abril. O Papa Gregório XIII instituiu o 1º de Janeiro como o primeiro dia do ano, mas alguns franceses resistiram à mudança e quiseram manter a tradição. Só que as pessoas passaram a pregar partidas e ridicularizar os conservadores, enviando presentes estranhos e convites para festas que não existiam. Assim, nasceu o Dia da Mentira, que é a falsa comemoração do Ano Novo.

Tradições de Ano Novo no mundo:

Itália: O ano novo é a mais pagã das festas, sendo recebido com Fogos de artifícios, que deixam todas as pessoas acordadas. Dizem que os que dormem na virada do ano dormirão todo o ano e na noite de São Silvestre, santo cuja festa coincide com o último dia do ano. Em várias partes do país, dois pratos são considerados essenciais. O pé de porco e as lentilhas. Os italianos se reúnem na Piazza Navona, Fontana di Trevi, Trinitá dei Monit e Piazza Del Popolo.

Estados Unidos: A mais famosa passagem de Ano Novo nos EUA é em Nova Iorque, no Time Square, onde o povo se encontra para beber, dançar, correr e gritar. Há pessoas de todas as idades e níveis sociais. Durante a contagem regressiva, uma grande maçã vai descendo no meio da praça e explode exatamente à meia-noite, jogando balas e bombons para todos os lados.

Austrália: Em Sydney, uma das mais importantes cidades australianas, três horas antes da meia-noite, há uma queima de fogos na frente da Opera House e da Golden Bridge, o principal cartão postal da cidade. Para assistir ao espetáculo, os australianos se juntam no porto. Depois, recolhem-se a suas casas para passar a virada do ano com a família e só retornam às ruas na madrugada, quando os principais destinos são os “pubs” e as praias.

França: O principal ponto é a avenida Champs-Elysées, em Paris, próximo ao Arco do Triunfo. Os franceses assistem à queima de fogos, cada um com sua garrafa de champanhe (para as crianças sumos e refrigerantes). Outros vão ver a saída do Paris-Dacar, no Trocadéro, que é marcada para a meia-noite. Outros costumam ir às festas em hotéis.

Brasil: No Rio de Janeiro, precisamente na praia de Copacabana, onde a passagem do Ano Novo reúne milhares de pessoas para verem os fogos de artifício. As tradições consistem em usar branco e jogar flores para “Yemanjá”, rainha do mar para os brasileiros.

Inglaterra: Grande parte dos londrinos passa a meia-noite em suas casas, com a família e amigos. Outros vão a Trafalgar Square, umas das praças mais belas da cidade, à frente do National Gallery. Lá, assistem à queima de fogos. Depois, há festas em vários pontos da cidade.

Alemanha: As pessoas reúnem-se no Portal de Brandemburgo, no centro, perto de onde ficava o Muro de Berlim. Tradicionalmente, não há fogos de artifício.

Curiosidade: Em Macau, e para todos os chineses do mundo, o maior festival do ano é o Novo Ano Chinês. Ele é comemorado entre 15 de Janeiro e 15 de Fevereiro de acordo com a primeira lua nova depois do início do Inverno. Lá é habitual limparem as casas e fazerem muita comida (Bolinhos Chineses de Ano Novo - Yau Gwok, símbolo de prosperidade). Há muitos fogos de artifício e as ruas ficam cobertas de pequenos pedaços de papel vermelho.

Cada cultura comemora seu Ano Novo. Os muçulmanos têm seu próprio calendário que se chama “Hégira”, que começou no ano 632 d.C. do nosso calendário. A passagem do Ano Novo também tem data diferente – 6 de Junho, foi quando o mensageiro Mohamed fez a sua peregrinação de despedida a Meca.

As comemorações do Ano Novas judaico, chamadas “Rosh Hashanah”. É uma festa móvel no mês de Setembro (este ano foi 6 de Setembro). As festividades são para a chegada do ano 5763 e são as oportunidades para se deliciar com as tradicionais receitas judaicas: o “Chalah”, uma espécie de pão e além do pão, é costume sempre se comer peixe porque ele nada sempre para frente.

O primeiro dia do ano é dedicado à confraternização. É o Dia da Fraternidade Universal. É hora de pagar as dívidas e devolver tudo que se pediu emprestado ao longo do ano. Esse gesto reflecte a nossa necessidade de fazer um balanço da vida e de começar o ano com as contas acertadas.

Tradições Portuguesas:

As pessoas valorizam muito a festa de Ano Novo, porque sentem o desejo de se renovar. Uma das nossas tradições é sair às janelas de casas batendo panelas para festejar a chegada do novo ano. Nos dias 25 de Dezembro e 1º de Janeiro, costumamos comer uma mistura feita com as sobras das ceias, que são levadas ao forno. O ingrediente principal da chamada “Roupa Velha” é o bacalhau cozido, com ovos, cebola e batatas, regados a azeite.

Para as superstições, comer 12 passas durante as 12 badaladas na virada do ano traz muita sorte, assim como subir numa cadeira com uma nota (dinheiro) em uma das mãos. Em várias zonas do litoral, há pessoas que mesmo no frio do Inverno conseguem entrar na água e saudar o Ano Novo.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008


RENOVA-TE TAMBÉM

...Neste Natal, por algum momento, pacifica a tua alma para receber as vibrações de amor que te falam de um tempo excepcionalmente afortunado à Humanidade...

...Distante de formalidades e comemorações exteriores medita no significado real desta data e começa a trabalhar na renovação da forma que te é própria de saudar o Natal.

...Esquece, por momentos, acepipes e licores, vestes e presentes, sons e ornamentos, e interiorizando-te, deixa que uma luz maior te banhe o entendimento te levando para um lugar à parte, distante de todas frivolidades, para falar de alegrias que realmente importam ao teu progresso espiritual.

...Como te encontras, desde o último Natal?

...Olhando em torno sentirás tristeza, por certo, porque o mundo prossegue envolto em sombras, malgrado todas as esperanças de um tempo mais íntegro, melhor.

...Isso porque não bastam súplicas e desejos; necessário é trabalhar na edificação da paz almejada.

...Renova, por esta razão, teu modo de apresentar-se à grande festa da Luz.

...Envolve-te ricamente, porém nas vestes do amor e do bem; alimenta-te fartamente, mas de bom ânimo e coragem; bebe em abundância apenas do licor da alegria e da esperança; presenteia sem erro paz e harmonia ao teu próximo e roga para ti os mimos imorredouros do aperfeiçoamento, como lembrança preciosa e definitiva.

...Paciência - para as dificuldades.
...Tolerância - para as diferenças.
...Benevolência - para os equívocos.
...Misericórdia - para os erros.
...Perdão - para as ofensas.
...Prudência - para as ilusões.
...Equilíbrio - para os desejos.
...Sensatez - para as escolhas.
...Sensibilidade - para os olhos.
...Delicadeza - para as palavras.
...Discernimento - para os ouvidos.
...Resignação - para a escassez.
...Responsabilidade - para a fartura.
...Coragem - para as provas.
...Fé para as conquistas.
...Amor - para todas as ocasiões.

(Fonte : http://br.geocities.com/mensagens_andreluiz/msg_natal.html )

A todos vocês, queridos clientes e amigos, nossos votos de

FELIZ NATAL! ABENÇOADO ANO NOVO!

Sandra Hasmann e Família

domingo, 16 de novembro de 2008


RETRATO DE LAUDICE VON GLEHN

É com imensa honra e orgulho que lhes apresento o retrato de uma grande dama : Laudice Von Glehn - esposa do Barão Peter Von Glehn (in memorian)
Terminei de pintar esse retrato no dia 12/11/2008 e minha ansiedade em entregá-lo antes do Natal foi tão grande que mandei emoldurá-lo no dia 13/11 e no dia 14 o levei até Frutal/MG, onde ela mora, e o entreguei.

Vê-la alí, estática diante do retrato, com as mãos cruzadas sobre o queixo, olhinhos arregalados, foi muito, muito marcante. Tão marcante e emocionante essa visão que eu chorei... Havia três anos que eu lhe prometera pintar seu retrato mas, só agora me foi possível cumprir a promessa.

O castelo que está acima de sua cabeça, meio que "envolto em brumas e magia", é real: trata-se do castelo Glehn, na Estônia , e foi nele que meu padrinho Peter Von Glehn viveu até que estourou a grande guerra e a família teve que deixar p/ trás sua vida burguesa, seu castelo, seus bens, e fugir para o Brasil.

Laudice nunca esteve no castelo, razão pela qual coloquei-o no retrato, em homenagem ao meu padrinho, seu esposo, que com certeza sonhara um dia vê-la passear por seus jardins... Retratei o castelo pelo lado posterior  a fim de que a Bela Dama pudesse estar em seu lugar de direito na história: dentro dos domínios do castelo.

A Bela Dama hoje já não é tão jovem, mas, ostenta a mesma nobreza e dignidade no porte, nos atos, no caráter.

Missão cumprida!!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008





Tecnologia do Abraço


O matuto falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar
sobre cada palavra que dizia...
- É... das invenção dos homi, a que mais tem sintido é o abraço.
O abraço num tem jeito di um só aproveitá!
Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha...
Quandu ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia...
Quandu ocê tá cum muita reiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum reiva...
Si ocê tá feliz e abraça arguém, esse arguém pega um poquim da sua alegria...
Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele, ele começa a miorá, i ocê miora junto tamém...
Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê purquê qui é, qui o abraço tem tanta tequinologia, mas ninguém inda discubriu...
Mas, iêu sei! Foi um ispirto bão de Deus qui mi contô...
Iêu vô contá procêis u qui foi quel mi falô:
O abraço é bão pur causa do Coração...
Quandu ocê abraça arguém, fais massarge no coração!...
I o coração do ôtro é massargiado tamém!
Mas num é só isso, não... Aqui tá a chave do maió segredo de tudo:
É qui, quandu nois abraça arguém, nóis fica cum dois coração no peito!...



(autor desconhecido)

sexta-feira, 7 de novembro de 2008


O que revela um Intestino Preso?
- Conceição Trucom -

(Fonte: www.docelimao.com.br)

Metafisicamente, a prisão de ventre pode revelar uma avareza para com a possibilidade de prosperidade e expansão da própria vida. Inclusive, é comum que pessoas que apresentam constipação crônica, tenham dificuldade de aprendizado e resistência para aceitar desafios.

Bem, comecemos pelo entendimento desta Fisiologia. A digestão humana completa requer cerca de 30 horas. Após deixar o estômago, o alimento penetra no duodeno (primeira parte do intestino delgado) e se move lentamente, até passar pelo jejuno e íleo (partes intermediária e distal do intestino delgado respectivamente), e alcançar o cólon (parte do intestino grosso), cerca de 24 horas após a ingestão.

No intestino delgado os “agentes químicos” transformam os alimentos em unidades elementares aproveitáveis (construtoras ou nutridoras) do organismo. Este caminho digestivo do ser humano mede cerca de 10 metros, com cada porção desempenhando um papel específico, na complexa tarefa de assimilação dos alimentos ingeridos. Este trajeto é relativamente longo para um mamífero, característica, aliás, própria dos herbívoros. Isso significa que uma alimentação baseada em vegetais é a mais adequada aos intestinos do homem.

Entretanto, se o alimento ingerido contém substâncias construtoras e nutritivas ou não, a mobilização energética para realizar todo o trabalho digestivo poderá ser assim:

a) Consumindo pouca energia em prol de elevado grau de nutrição, além de fácil excreção ou,
b) Consumindo muita energia em prol de baixo ou zero grau de nutrição, complicada pela dificuldade de excreção.

No caso “a” o saldo energético será positivo. Elevada vitalidade e produtividade, ou seja, saúde com energia de sobra para realizar projetos e alcançar metas. No caso “b” irá faltar energia construtiva e nutritiva. Acontecerá a intoxicação, baixa produtividade e na continuidade, a doença.

A progressão através dos intestinos é comandada por contrações musculares que recebem o nome de “movimentos peristálticos”, e estão sob o controle do sistema nervoso vegetativo. Freqüentemente ocorre uma deficiência nessa complexa ação mecânica e a massa alimentar permanece mais tempo do que deveria em cada trecho, transtornando todo o “trânsito” digestivo. Esse fenômeno ocorre com os que praticam os maus hábitos de vida, dando maior peso aos de vida sedentária e que se alimentam mal (baixo consumo de vegetais crus e integrais). O cólon fica “preguiçoso”, dilatado e incapacitado de cumprir bem as suas funções.

A prisão de ventre favorece a putrefação intestinal, com inevitável formação de gases. O longo tempo de permanência dos excretos (toxinas, impurezas e venenos) nos intestinos provoca a reabsorção dos mesmos pelas suas paredes, ocasionando uma intoxicação mais grave, podendo chegar a diferentes níveis de alergias, doença e até à morte.

Um intestino preso pode provocar as seguintes perturbações: infecções das vias urinárias (atenção especial às candidíases de repetição), infecções renais, infecções intestinais, problemas glandulares (tireóide, mamas, ovários, etc.), dificuldades circulatórias, digestivas, cutâneas, nervosas e finalmente mentais.

Segundo o professor Arnold Ehret, criador de uma dieta baseada na ingestão exclusiva de frutas, a doença é entre outras coisas uma tentativa desesperada do organismo para se livrar dos seus lixos tóxicos. Ele realizou pesquisas fantásticas sobre o uso do jejum regular e percebeu surpreso que as pessoas que permaneciam 20 dias sem ingerir qualquer alimento ainda expeliam fezes. Ele afirma que “o indivíduo de porte médio tem ao redor de 4-5 quilos de fezes sem eliminar, que envenenam continuamente sua circulação sangüínea, portanto, todo o organismo”.

O propósito de uma vida saudável (em todos os níveis de consciência) é ser cúmplice da sua harmonia metabólica: nutrir sadia e desintoxicação DIÁRIA. E é nos intestinos que tal fenômeno precisa acontecer de forma efetiva e rápida. No intestino delgado decide-se o que irá para a corrente sangüínea como nutrição e o que não passa pelo crivo deste sistema de seleção irá seguir seu caminho para o intestino grosso e posterior excreção na forma de fezes.

Na verdade, o intestino delgado é considerado pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC) como um cérebro, uma central de inteligência "orgânica", onde se decide o que irá perpetuar a vida e o que irá ser eliminado, aliviando o organismo destes excretos e toxinas. Este é o motivo pelo qual a MTC valoriza tanto o pleno funcionamento deste sistema excretor. Lembrando que os mesmos maus hábitos que intoxicam o fígado também causam dificuldades aos intestinos.

Metafisicamente falando, um intestino preso revela uma recusa em largar velhas idéias, crenças ou emoções. Apego ao passado. Pode revelar um medo de abandonar o conhecido em prol do desconhecido. Este "medo" é até natural pois o novo costuma ser assustador, incerto. Entretanto ele não pode paralisar um processo que é natural: o crescer, o evoluir, o transformar-se. E para crescer, como no caso da lagosta, precisamos abandonar as velhas cascas, por mais seguras que sejam, para permitir uma versão mais crescida, mais confortável do Ser.

Um intestino preso pode revelar também uma avareza para com a possibilidade de prosperidade e expansão da própria vida. Inclusive, é comum que pessoas que apresentam constipação crônica, tenham dificuldade de aprendizado e resistência para aceitar desafios.

Cuidados de bom senso:

- Praticar uma dieta rica (50% mínimo) em alimentos do reino vegetal crus, frescos, integrais, com elevado teor de fibras e substâncias antioxidantes, logicamente isentos de agrotóxicos.

- Praticar em jejum e intervalos das refeições principais os sucos da Alimentação Desintoxicante.

- Fazer uso de chás desintoxicantes. Consumir diariamente cerca de 6-8 copos de líquidos entre sucos, chás e água.

- Ao despertar, antes de levantar, aproveitar para massagear carinhosamente a face, as palmas das mãos e o ventre com movimentos circulares. Sente na cama e massageie as pernas e sola dos pés. Nestes 5-10 minutos acontecerá um "despertar" estimulante de todo o sistema hepático, digestório e excretor.

- Praticar caminhadas matinais diárias - 30 minutos ou até transpirar - para estimular a desintoxicação geral e os movimentos peristálticos e,

- Dar-se tempo para ir ao banheiro com calma todas as manhãs ao levantar-se. Aproveite, enquanto espera, para conversar com seus apegos e medos. Acalmá-los, com gratidão, diante da iminente despedida!

(Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida.

Recomenda-se a leitura na íntegra do livro Alimentação Desintoxicante - editora Alaúde, o que possibilitará a prática desta filosofia de vida com consciência e responsabilidade).

sábado, 1 de novembro de 2008


QUER UM ABRAÇO ?
(Por Thays Biasetti)

Fonte: http://eyoga.uol.com.br/scripts/materia/materia_det.asp?idArea=1&idCanal=1&idmateria=999

Há dias em que tudo que você precisa é de um abraço. Parece que se alguém abraçar você, os problemas vão sumir e tudo ficará mais fácil. E existe uma razão para gostar tanto desse ato de carinho. Pesquisas comprovaram que o toque pode melhorar o humor, as emoções e até a saúde.

Um estudo feito com cem casais pela Universidade da Carolina do Norte mostrou que o abraço diminui os efeitos ruins do estresse, abaixa a pressão, diminui a freqüência cardíaca e aumenta os níveis de hormônios de prazer. Durante a pesquisa, 50 casais foram instruídos a assistir a filmes relaxantes de mãos dadas e darem um abraço depois da exibição. Os outros 50 não deveriam ter nenhum contato durante o vídeo. No final, os casais que haviam tido contado físico estavam com a pressão arterial e a freqüência cardíaca mais baixas do que aqueles que não tinham se tocado. Além disso, os níveis de cortisol, hormônio do estresse, estavam mais baixos e os de serotonina e oxitocina eram maiores. Por isso, a sensação de abraçar alguém é tão boa, já que esses hormônios são responsáveis pela felicidade e o prazer.

Toque de bem-estar
A pele do corpo possui mais de 5 milhões de terminações nervosas. Uma grande parte desses terminais está localizada nas mãos. Qualquer tipo de toque ou carícia é capaz de liberar os hormônios do bem-estar e tranqüilizar a pessoa. Como o abraço é um toque em que há contato de uma área bem abrangente do corpo, os benefícios são potencializados.

O psicólogo José Henrique Volpi, diretor do Centro Reichiano, de Curitiba, afirmou que essa melhora na saúde acontece por causa do efeito positivo dos hormônios de prazer no corpo. “Quando abraçamos, temos uma situação de expansão do corpo e acontece a liberação de hormônios, que promovem uma sensação de bem-estar. Quando esses hormônios estão em níveis elevados, somos mais felizes e temos mais saúde”, disse.

Além da relação com a saúde, abraçar tem o efeito de aproximar as pessoas. “O abraço é um sinal de aconchego e de aceitação. Se você abraça alguém, você demonstra que está aberto a ela”, comentou José Henrique.

A escritora Kathleen Keating, autora do livro “A Terapia do Abraço”, acredita que o mundo esteja sofrendo de solidão. “A tecnologia moderna é importante, mas todo ser humano precisa de carinho físico”, comentou. Se a vida corrida e a virtualidade das relações têm afetado o psicológico, não hesite em abraçar as pessoas que estão, emocionalmente, próximas.

Esse toque de pele vai criar cumplicidade e estreitar os laços de afeto, fazendo você se sentir menos sozinho e desamparado, e acreditar que sempre existe alguém para ajudar ou consolar quando precisar de um conforto. “O abraço também passa uma sensação de proteção. De que se algo acontecer, você está protegido por essa pessoa”, explicou o psicólogo. A escritora acredita firmemente que o abraço é um eficaz remédio contra vários males. “Existe algo poderoso em nossos braços, mãos e dedos que faz alguém se sentir amado e cuidado com um simples abraço”, disse a escritora.

Abrace o mundo
Os efeitos terapêuticos do abraço não são privilégio de casais, pessoas deprimidas ou doentes. Qualquer um pode ser beneficiar desse ato de intimidade. Kathleen afirma que todo mundo deveria praticar o abraço com mais freqüência. “A terapia do abraço não é apenas para os solitários ou para pessoas emocionalmente machucadas. Ela pode tornar mais saudável quem já é saudável, mais feliz quem já é feliz e fazer com que a pessoa mais segura entre nós se sinta ainda mais segura”, disse.

Para conseguir os efeitos de um bom abraço, não é necessário ter um companheiro para isso. Você pode testar o efeito na saúde abraçando todos que conhece. E não precisa ser somente pessoas. Vale também dar um aperto no bicho de estimação ou, em último caso, no travesseiro. Mas se conseguir abraços de amigos, familiares e amores, o benefício será comprovadamente maior. E o efeito recíproco também é benéfico. Abraçar alguém que esteja precisando, pode ajudar, e muito, a pessoa.

Curta um bom abraço
Mas nem todo mundo gosta do toque humano. “O mundo está sofrendo de falta de abraço. A dificuldade de recebê-lo é resultado de uma educação sem contato físico. As pessoas estão se abraçando pouco, porque foram pouco abraçadas”, alertou o psicólogo de Curitiba. Se você não gosta muito de ser abraçado, tente mudar o jeito de ver as coisas. “Para quem não gosta desse contato, é muito difícil receber um abraço. Mas tudo na vida é prática. Portanto, pratique. Abrace as pessoas e você vai perceber como é bom receber esse carinho”, finalizou José Henrique.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008


AS ESCOLHAS SÃO NOSSAS. AS AÇÕES SÃO NOSSAS

É ESPERADO DOS HUMANOS UM DESPERTAR, UMA ABERTURA PARA OS CONCEITOS ESPIRITUAIS, NO MÍNIMO UM ESPAÇO ENTRE UMA RESPOSTA IMPULSIVA E UMA IDÉIA DIFERENTE NA AÇÃO.

É ESPERADO DOS HUMANOS ESCOLHAS. É ESPERADO DOS HUMANOS AÇÕES MAIS CONSCIENTES. É ESPERADO DOS HUMANOS UMA APROXIMAÇÃO DA SUA CONSCIÊNCIA DIVINA, UMA ELEVAÇÃO DOS PENSAMENTOS E PROPÓSITOS.

MUITAS VEZES PODEMOS NÃO SABER COMO AGIR FRENTE A UM DESAFIO. PODEMOS ATÉ SOFRER COM A DÚVIDA SOBRE QUAL A ATITUDE CORRETA. DEUS É UMA FORÇA POSITIVA E CHEIA DE AMOR QUE SUPRE TODAS AS NECESSIDADES HUMANAS, MAS NÃO NOS PRIVA DOS APRENDIZADOS. POREM, SOFRER OU APRENDER COM AS VICISSITUDES DA VIDA, DEPENDE DE CADA UM.

O PODER UNIVERSAL QUE A TUDO PERMEIA, TAMBÉM ESTÁ NO NOSSO INTERIOR E SE MANIFESTA NESTE MUNDO FENOMÊNICO ATRAVÉS DE REGRAS E LEIS DIVINAS.

COMO A” LEI DO RETORNO” QUE TRAZ PARA NÓS O FRUTO DE NOSSA AÇÃO, COMO A “LEI DO AMOR”, QUE NOS CONECTA ONDE EXISTA AMOR, COMO A “LEI DA NÃO-RESISTÊNCIA” FRENTE AOS ALTOS E BAIXOS DO DESTINO. MUITAS SÃO AS LEIS DA MENTE DIVINA.

SITUAÇÕES COMPLICADAS SÃO DESDOBRAMENTOS DE ESCOLHAS DO PASSADO.

AO ACHAR-SE VÍTIMA DE UM DESTINO INFELIZ, É IMPORTANTE ABRIR A MENTE E MUDAR ESTA CRENÇA.

CLARO QUE NEM TUDO ACONTECE COMO DESEJAMOS, NEM TODAS NOSSAS INICIATIVAS CHEGAM A UM LUGAR FELIZ, MAS TUDO TEM APRENDIZADO E LIBERTAÇÃO SE NOS ABRIRMOS PARA RECEBER.

MESMO ESCOLHAS INCONSCIENTES, QUE SÃO ATOS REFLEXOS, NOS QUAIS NÃO PENSAMOS, TAMBÉM SÃO ESCOLHAS.

A OMISSÃO – ISTO É, NÃO FAZER NADA – DEIXANDO A VIDA LEVAR ATÉ UMA SOLUÇÃO QUALQUER, TAMBÉM É UMA ESCOLHA...

A REAÇÃO A UMA AGRESSÃO É UMA ESCOLHA, PORQUE MESMO NUMA SITUAÇÃO IMPULSIVA DE RAIVA E DE ERRO, É POSSÍVEL NÃO REVIDAR E AGIR DE FORMA MAIS LÚCIDA E NÃO ENTRAR NA RODA DE SAMSARA DOS ATOS IMPENSADOS.

O HOMEM FOI FEITO À IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS, NÃO APENAS NA HARMONIA DO CORPO FÍSICO, MAS TAMBÉM NAS INFINITAS POSSIBILIDADES DO SEU PENSAMENTO.

LEMBREMOS-NOS QUE PODEMOS PENSAR DIFERENTE DO QUE PENSAMOS HOJE, PODEMOS AGIR DIFERENTE DO QUE AGIMOS HOJE, PODEMOS MUDAR TUDO NA NOSSA VIDA.

às vezes as pessoas se sentem tão fragilizadas que aceitam condições terríveis para si mesmas. Deixam de acreditar que são filhas e filhos de Deus e que se aceitarmos as mudanças naturais da vida seremos muito mais felizes.

Quem sabe SE a dor e o sofrimento vêm para nos libertar? Afinal, não se fazem omeletes sem quebrar os ovos.

Quando umA PESSOA aceita o seu poder pessoal é certo que terá mais força, lucidez e entendimento para enfrentar qualquer prova em sua vida.

NÃO FOI DEUS QUEM CRIOU OS DESAFIOS PARA ENFRENTARMOS. FOMOS NÓS QUE GERAMOS A NECESSIDADE DE PASSAR POR ELES.

GEREMOS AGORA UMA CONEXÃO MAIS AMOROSA E TRANQÜILA E OBSERVEMOS OS FRUTOS QUE EM BREVE VIRÃO.



Fonte – http://somostodosum.ig.com.br/c.asp?i=4802

quarta-feira, 8 de outubro de 2008





REMÉDIO EFICAZ CONTRA QUEIMADURAS


Num curso de 'AGENTE DE SAÚDE COMUNITÁRIA' me ensinaram que, na hora da queimadura, seja lá a extensão que for, a primeira providência é colocar a parte afetada debaixo de água fria corrente até que o calor diminua e pare de queimar outras camadas de pele.
Depois devemos passar clara de ovo, levemente batida.

Pois, pasme, na semana passada, uma amiga, queimou uma grande parte da mão com água fervendo.
Colocou então a mão em baixo da torneira, bastante tempo, para tirar aquele calor inicial, porque a dor era violenta.
Então abriu 2 ovos e separou as claras, bateu um pouco, e ficou com a mão naquela coisinha chata, que era a clara.
Estava tão queimada a mão, que assim que ela colocava a clara em cima secava e ficava uma pelí­cula, que depois ficou sabendo que era colágeno natural.
Ficou pelo menos uma hora colocando camadas de claras na mão.
À tarde, não sentia mais dor alguma, e no dia seguinte apenas havia a marca vermelha arroxeada onde havia queimado. Pensou que ficaria com uma cicatriz horrível, mas para sua surpresa, depois de 10 dias não está com nenhuma marca do acontecido. Nem a cor da pele mudou.
A parte queimada foi totalmente recuperada pelo colágeno existente na clara de ovos, que na verdade é uma placenta cheia de vitaminas.

Repasse!
Sempre existe alguém que pode precisar.


Instituto de Botânica
Seção de Ficologia
Caixa Postal 4005
01061-970 São Paulo, SP, Brasil

terça-feira, 7 de outubro de 2008


EDUCAÇÃO : UM EXERCÍCIO DO OLHAR



Pensamos saber algumas coisas sobre educação. Entre elas, se não somos educadores, pensamos que cabe ao educador educar, e aos outros exercer cada um a sua profissão.

Os pais e as mães consideram-se educadores, mas não tanto quanto os educadores profissionais. Acham-se amadores nesta área, quase incapazes de enfrentar situações que desafiam a rotina familiar.

Esquecemos -e alguns educadores profissionais também esquecem- que educar é tarefa para todos, de todos os instantes, e que cada um está equipado para cumpri-la.



Porque educar é uma questão, basicamente, de olhar. A arte de educar é uma arte do olhar.

É arte de dar luz. Temos perdido a mestria nesta arte, ao considerar o olho como um coletor de informações, um caçador de imagens, um orgão sugador de realidade. Apenas. Ficamos cegos ao fato de que temos a capacidade de construir mundos do tamanho e à imagem do nosso olhar : estreitos e maldosos ou vastos e belos.



O olho já foi comparado ao Sol, e como tal poderíamos reaprender a usá-lo; como um doador, um gerador de Vida, um amadurecedor de mundos, enfim, um "acendedor" : lembremos a postura hierática dos girassóis, fascinados pelo Sol, soberbos ao refleti-Lo.



Neste sentido, se o verdadeiro ato de olhar é generoso, ele exige cuidado e zelo (trata-se de recobrar a função solar do olho), para que raios não sejam interrompidos por julgamentos e, de maneira geral, para não interpor nada no trajeto da luz despendida: às vezes, o trajeto é longo, e o objeto distante (da nossa compreensão, por exemplo).



E paradoxalmente, querendo ser solar, o educador aprende a humildade e a paciência: ele aprende a não iluminar (e consequentemente alimentar) apenas o que sabe nomear e que aparece talvez como desvio, porque ele não subordina a distribuição da sua luz à sua capacidade de discernimento; ou seja, ele é capaz de discernir e oferecer luz ao irreconhecível, e ele tem assim a ousadia de lançá-la onde é mais necessária: na escuridão. Incansavelmente ele procura o lado positivo das coisas (às vezes minúscula faceta) para vivificá-lo. Ele optou pelo bem, e, talvez, pela dificuldade.



Educar então consiste em optar pelo difícil exercício de treinar e usar o nosso olho bom. Não se trata de ignorar o penoso, mas de incluí-lo numa perspectiva maior, porque a realidade é assim: infindável. Trata-se, sim, de perder o hábito de vislumbrar o "mal" (reduzindo a Vida a caricaturas, já que o olhar maléfico a coagula no instante de uma de suas inumeráveis configurações, retirando-lhe o dom mágico da transformação) onde se deveria ouvir gritos de socorro, sinais querendo ser compreendidos por um raio benevolente, capaz de pressentir o "bom" através dos gemidos da Vida pisoteada; e capaz de fortalecê-lo pelo simples fato de considerá-lo.



Trata-se de não produzir uma sombra onde o "crescente” (eventualmente procurando direção, como o galho da árvore através de seus muitos meandros) almejava por luz.

Trata-se de corrigir o nosso olhar quando, travado na sua própria mesquinhez, devolve o enxergado (porque há sempre uma devolução, mesmo que o queiramos ignorar) maculado pela recusa em compreender aquilo que, vivaz e procurando irromper, se esconde atrás do aparentemente "mau", ou aquilo que estiver a murchar por falta de luz e calor (humano, no caso).

.

Nossa tarefa de educar consiste em desbastar as trevas com o nosso olhar, não em fixar limites e normas ao crescimento e ao progresso, com um olhar que julga, nomeia, e, no fim das contas, prende.



Ninguém tem a obrigação ou a capacidade de entender tudo. (O entendimento intelectual aliás é algo muitas vezes empobrecedor). Mas de compreensão que abraça, oferece luz e calor ao inimaginável, todos nós somos capazes.



Todos nós somos capazes de ponderar sobre maus olhares que assentaram más interpretações tais como: mentira, egoísmo, inveja, maldade, crueldade, e condenaram almas a tão dolorosos meios de expressar a Vida, a distorções resultando de privação de luz, testemunhos do formidável poder de influência que temos uns sobre os outros. Testemunhos também da força incrível da Vida que habita em cada um de nós, e da Sua capacidade em descobrir e trilhar os caminhos os mais negros, curtos e insensatos, quando Lhe for barrado o acesso aos outros.

Todos nós somos capazes de não deter o nosso olhar sobre aquilo que não passa de ganga espessa encobrindo o metal precioso. Todos nós somos capazes de adubar o melhor, em vez de, movidos por sentimentos tais como reprovação ou indignação, que nos eximem de qualquer responsabilidade, cultivar o daninho com o nosso olhar adulterado, fisgador de aparências.



Podemos exercitar o nosso bom olhar (o equipamento do educador), refletindo sobre algumas dessas aparências. Assim, quando fisgamos, por exemplo, a inveja no outro (e nesse exercício de educar, o outro, o educando, o recipiendário virtual, são todos os que nos circundam, é o mundo inteiro ansiando por mais luz), por que não indagarmos: quão pouco enxergo e esclareço a beleza desta pessoa, de tal modo que só lhe resta invejar a dos outros (ou um sucedâneo desta)?

Quando fisgamos a maldade: quão pouco ofereço o modelo da minha bondade, de tal modo que só resta ao outro interpelá-la com o seu oposto, a maldade?

Quando se trata do egoísmo: quão pouco esquento o outro com o meu olhar, de tal modo que só lhe resta proporcionar este calor desolado a si mesmo?

E se for a mentira: quão pouco tenho clareado a imensidão que nos cerca, de tal modo que só resta ao outro mentir, para não sufocar no mundo acanhado que, mentindo-lhe, tenho construído em volta dele?

Ou ainda o furto e a venalidade: quão pouco aos corruptos foram proporcionados espectáculos de olhares benevolentes e doadores, de tal modo que só lhes resta explorar as sendas corrompedoras da apropriação indevida de falsos valores, já que os verdadeiros não lhes foram aclarados e não puderam vingar?

Este exercício poderá ser modulado até o infinito, porque o desafio de educar não exige menos do que isso, e lembrando que:



"O olho não teria nunca percebido o Sol se não tivesse primeiro tomado a forma do Sol, da mesma maneira, a alma não pode enxergar a beleza sem ela mesma ter se tornado bela, e cada um há de se tornar belo e divino a fim de alcançar a visão da beleza e da divindade.” (Plotino)



Eis a dimensão do empreendimento: educar, alcançando a discrição da divina beleza dos atuais atores da Vida, nossos conTerrâneos.

Céline LORTHIOIS, Hermes, São Paulo, número 1, janeiro 1994.

domingo, 5 de outubro de 2008


ORAÇÃO DO POLÍTICO CONSCIENTE

Senhor...

Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes
e a não dizer mentiras para ganhar o aplauso dos fracos.
Se me dás fortuna, não me tires a razão.
Se me dás o sucesso, não me tires a humildade.
Se me dás humildade, não me tires a dignidade.
Ajuda-me a enxergar o outro lado da moeda.
Não me deixes acusar o outro por traição aos demais, apenas por não pensar igual a mim.
Ensina-me a amar aos outros como a mim mesmo.
Não deixes que me torne orgulhoso se triunfo, nem cair em desespero se fracasso.
Mas recorda-me que o fracasso é a experiência que precede ao triunfo.
Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza e que a vingança é um sinal de baixeza.
Se não me deres o êxito, da-me forças para aprender com o fracasso.
Se eu ofender às pessoas, dá-me a coragem para desculpar-me,
e se as pessoas me ofenderem, dá-me a grandeza de perdoá-las.
Senhor , se eu me esquecer de ti , nunca te esqueças de mim.
Mahatma Gandhi

sábado, 20 de setembro de 2008


Super-saladas: refeição reforçada

--------------------------------------------------------------------------------

Confira receitas para compor uma salada gostosa e com todos os grupos alimentares dos quais seu corpo precisa


(Por Thays Biasetti)
FONTE - http://eyoga.uol.com.br/

Uma salada comum pode conter folhas verdes, como alface, almeirão e rúcula, e tomate, cenoura, pepino e cebola. Se quiser, incrementá-la, a pedida é agregar itens saudáveis e que façam dela uma verdadeira refeição, ou seja, que contenha carboidrato e proteína além das folhas e legumes.

As saladas são extremamente importantes para o bom funcionamento do organismo, pois fornecem elementos necessários para o corpo. “Verduras e legumes suprem o organismo de nutrientes essenciais, como vitaminas do complexo B e C, betacaroteno, minerais e fitoquímicos, que têm ação antioxidante e anticancerígena comprovada em inúmeros estudos científicos”, explicou a médica ortomolecular e nutróloga Tamara Mazaracki, do Rio de Janeiro. Além disso, os vegetais são fonte de fibras, que melhoram o funcionamento intestinal e ajudam o corpo a eliminar toxinas e colesterol, contribuem na hidratação por seu alto teor de água e contribuem para manter o peso controlado por serem poucos calóricos.

Saladas-refeições
Para uma salada ser completa e poder substituir uma refeição, é importante variar ao máximo a variedade de vegetais. “É sempre interessante misturar dois tipos de folhas diferentes para deixar o prato mais apetitoso e nutritivo. Adicionar legumes cozidos, de preferência no vapor, ajuda a enriquecer mais ainda a salada”, comentou a médica carioca.

Além disso, é necessário complementar com os outros grupos alimentares, mas que sejam saudáveis. “Gorduras do bem vem sob a forma de sementes oleaginosas e um bom azeite extravirgem. Para finalizar, coloque algum tipo de proteína e de carboidrato. O tempero deve ser criativo e diferente para sempre surpreender o paladar”, completou Tamara. Desta forma a salada se transforma em um prato completo para aqueles dias de menos fome ou quando se quer controlar o peso.

Como são alimentos extremamente nutritivos, as saladas devem ser consumidas pelo menos uma vez ao dia, mas o ideal é comer duas vezes. “Salada nunca é demais. Como sugestão, pode-se alternar a salada crua do almoço com legumes cozidos no jantar, ou vice-versa”, completou a médica.

Salada quente?
O inverno faz a gente sentir mais fome e perder a vontade de comer saladas cruas. Uma boa opção é cozinhar legumes para completar sua refeição e livrar-se da sensação de frio. “Vegetais preparados no vapor, quentinhos e crocantes, substituem a salada fria nos dias em que se quer aquecer o estômago”, finalizou Tâmara. Fazer um refogado rápido de cebola, tomate, repolho ou broto de feijão mais floretes de couve-flor ou brócolis permite o preparo de uma salada quente. Preste atenção apenas para não cozinhar demais. Tente deixar os legumes durinhos. Desse modo, você continua recebendo os benefícios das saladas, mesmo quando o dia está frio.

Veja algumas sugestões de saladas completas e as substituições que podem ser feitas:

Folhas: alface lisa, crespa, roxa, americana, agrião, rúcula, chicória
Legumes crus: tomate, pepino, pimentão, cheiro-verde, cebola
Legumes cozidos: couve-flor, brócolis, batata, vagem, berinjela, jiló, quiabo, milho
Proteínas: frango desfiado, kani, sardinha em lata, ovos cozidos, queijo, amendoim
Carboidratos: torrada moída, feijão, arroz integral frio, quinua
Temperos: azeite, limão, molho shoyo, orégano, mostarda, iogurte natural, molho de alho, salsinha, vinagre, sal, alho desidratado, alecrim, pimenta
Extras: nozes, amêndoas, castanhas, azeitonas, ervilha, maçã, abacate, passas, palmito, aspargos


Salada de atum e feijão preto – 1 porção

Ingredientes
4 a 5 folhas de alface americana
2 colheres (de sopa de) de feijão preto cozido em água e sal
1/2 tomate ou 6 tomates cereja
100 g de atum em salmoura (ou sardinha)
1 cebolinha verde
1 colher (de sobremesa) de azeite extravirgem
Vinagre balsâmico
Gotas de molho shoyo

Modo de preparo
Rasgue a alface e monte em um prato fundo, acrescente o feijão e o tomate cortado. Coloque o atum e a cebolinha verde cortada em rodelinha. Tempere com azeite, molho shoyo e gotas de vinagre balsâmico. Serva imediatamente.Esta salada pode ser feita também com feijão branco.

Salada com amêndoas ou nozes – 1 porção

Ingredientes
4 a 5 folhas de alface roxa
Folhas de rúcula a gosto
5 fatias finas de pimentão vermelho
1 ovo cozido fatiado
1 colher (de sopa) de quinua cozida
1 colher (de chá) de salsa e cebolinha picadas
1 colher (de sopa) de amêndoas ou nozes
1 colher (de sobremesa) de azeite extravirgem
1 colher (de sobremesa) de molho de alho
1 pitada de sal temperado (sal grosso moído com folhas de alecrim ou orégano)

Modo de preparo
Monte a salada em um prato fundo colocando a alface e a rúcula cortadas. Acrescente o pimentão fatiado, o ovo, a quinua fria (ou arroz integral), o cheiro-verde e as amêndoas ou nozes (procure variar). Tempere e sirva imediatamente.

Salada com sardinhas ao molho de tomate – 1 porção

Ingredientes
4 a 5 folhas de alface americana
2 colheres (de sopa) de milho
1/2 tomate
2 unidades de sardinha (100 g) em molho de tomate
1 cebolinha verde
1 colher (de chá) de azeite extravirgem
Vinagre balsâmico

Modo de preparo
Rasgue a alface e monte em um prato fundo, acrescente o milho e o tomate cortado em cubinhos. Coloque a sardinha, usando um pouco do próprio molho, e a cebolinha verde cortada em rodelinhas. Tempere com o azeite e gotas de vinagre balsâmico. Sirva imediatamente.

Salada colorida – 1 porção

Ingredientes:
4 a 5 folhas de alface roxa
Rúcula à vontade
6 tomates cereja
4 kani kama
1 ovo cozido fatiado
2 castanhas do Pará
1 colher (de chá) de azeite extravirgem
Gotas de molho shoyo
1 polvilhada de flocos de alho desidratado

Modo de preparo
Monte a salada em um prato fundo colocando a alface e a rúcula cortadas. Corte os tomates ao meio e o kani em rodelas. Acrescente o ovo fatiado. Corte a castanha do Pará em rodelas fininhas. Tempere com o azeite, gotas de shoyo e polvilhe com o alho desidratado. Sirva acompanhada de uma fatia de pão integral aquecido e guarnecido com um fio de azeite.

Salada com mussarela de búfala – 1 porção

Ingredientes:
4 a 5 folhas de alface crespa
1 ramo de agrião
½ tomate
6 ovos de codorna
1 mussarela de búfala media
1 colher (de chá) de salsa e cebolinha picadas
1 colher (de chá) de semente de gergelim
1 colher (de chá) de azeite extravirgem
1 colher (de sobremesa) de molho de alho
1 torrada integral moída

Modo de preparo
Monte a salada em um prato fundo colocando alface e agrião cortados. Fatie o tomate e a mussarela. Acrescente os ovinhos, o cheiro-verde e polvilhe com as sementes de gergelim e a torrada moída. Tempere e sirva imediatamente.

Legumes variados no vapor – 1 porção

Ingredientes:
1 ramo de couve-flor
1 ramo de brócolis
1 tomate pequeno cortado ao meio
1 abobrinha cortada em cubos grandes
3 azeitonas pretas
1 colher (de chá) de azeite extravirgem
Gotas de molho shoyo
1 polvilhada de flocos de alho desidratado

Modo de preparo
Em uma panela grande, coloque um pouco de água e um anteparo de metal furadinho próprio para cozinhar no vapor. Coloque o tomate com a parte cortada voltada para cima e tampe a panela. Quando a água começar a ferver, acrescente brócolis e couve-flor. Aguarde 2 minutos e acrescente a abobrinha e as azeitonas. Quando começar a sentir o aroma dos vegetais, espete com um garfo para checar a textura. Não deixe cozinhar demais. Coloque em um prato, tempere e sirva imediatamente. Os legumes podem ser variados à vontade, sempre colocando de três a quatro tipos diferentes:
- lascas de cenoura, chuchu cortado em cubos, favas de ervilha e batata em rodelas
- folhas de repolho, vagem, abobrinha, azeitonas pretas e tomate cortado ao meio
- inhame em rodelas, quiabo, berinjela e tomate.
- abóbora pequena (com a casca) em cubos, brócolis, cogumelos, jiló cortado ao meio.

Esta é uma variação de salada de legumes, quente e reconfortante nos dias mais frios. Ela pode acompanhar uma omelete, ou uma porção de proteína, e até um prato de massa.

terça-feira, 16 de setembro de 2008



RECEITAS DE SUCOS, LANCHES E SOPAS DESINTOXICANTES
By Conceição Trucom
Fonte - http://www.docelimao.com.br/

Aproveite para praticar estas receitas em momentos onde a desintoxicação e o emagrecer forem urgentes. Boa prática!

# SUCOS DESINTOXICANTES

Preparados idealmente no liquidificador, evitar colocar água nestes sucos e diluir o coquetel de energia e vida que eles são. Importante: servir imediatamente após o preparo para evitar a oxidação e a perda do poder terapêutico.

Suco do sol: 1 xícara de maçã + ½ xícara de hortelã + suco de 1 limão médio + suco de 1 laranja + 1 colher sobremesa de semente de girassol (se usar a semente inteira tem que coar).

Bem laxante: 1 xícara de mamão + 1 inhame médio + ½ xícara de poejo (ou malva) + 1 limão médio + 1 ameixa preta sem caroço + 1 laranja

Bem refrescante e energético: 1 xícara de melancia (com as sementes fica mais digestivo) + ½ xícara de hortelã + 1 limão médio

Nunca falha: 1 xícara de abacaxi + 1 inhame médio + ½ xícara de hortelã (ou menta ou levante) + 1 limão médio + 1 colher sobremesa linhaça

Abacaxi vermelho: 1 xícara de abacaxi + 1 beterraba média + 1 limão médio + folhas da beterraba

Exótico e muito curativo: 1 xícara de abóbora picada (ideal a japonesa) sem casca mas com as semente + 1 xícara de abacaxi + 1 limão + 1 laranja

Roto-rooter – limpa gorduras encrustradas: 1 xícara de mamão formosa picado + suco de 1 laranja + suco de 1 limão + 2 ameixas sem caroço + 1 colher de sopa de germe de trigo + 1 colher de chá de lecitina de soja.

# LANCHES BALANCEADOS – se consumidos com moderação, eles não engordam porque são balanceados!

Mousse gelado alegria do verão: 1 xícara de manga bem madura e picada + 1 iogurte natural previamente congelado + gotas de limão + 1 castanha do Pará. Bater tudo no liquidificador até virar uma mousse/sorvete.

Bananada de verão: 1 iogurte natural (de soja ou de vaca) bem geladinho + 1 banana nanica inteira + 6 pistachios (podem ser também 6 amendoins, ou amêndoas ou avelãs). Bater tudo no liquidificador e beber mastigando.

Sorvete que não engorda: 2 bolas de sorvete de morango (ideal se for diet) + 1 xícara de morangos orgânicos picados + 2 colheres de sopa de queijo cottage. Misturar e servir para 1 ou 2 pessoas.

Vitamina cremosa de abacate: 1 copo de leite de soja (ou desnatado de vaca) + 2 colheres de sopa de abacate + 1 colher de sobremesa de semente de linhaça (ou de gergelim). Bater tudo e servir imediatamente.

Gelatina de uva: dissolva 1 pacote de gelatina diet de uva em 1 xícara de água fervente e coloque para gelar. Bata 2 claras em neve bem firme. Quando a gelatina estiver quase firme junte às claras batidas e misture com delicadeza. Arrume no fundo de 4 taças 6 a 8 uvas frescas sem as sementes/taça. Coloque a mistura de claras e gelatina sobre as uvas e leve para gelar novamente. Quando estiverem firmes, sirva cada taçã decorada com 1 castanha do Pará picada.

Vitamina de colher: 1 banana + 2 colheres de sopa de abacate + 2 colheres de sopa de leite em pó desnatado (ou 4 colheres de sopa de iogurte natural) + 1 colher de sopa de germe de trigo + 1 colher de chá de farelo de aveia + 3 castanhas de caju picadas. Amasse e misture tudo com um garfo. Use leite de soja ou desnatado para acertar a cremosidade. Pode também ser consumida como refeição matinal.

Suco engana fome: 1 tomate orgânico - ½ pepino com casca orgânico - 1 talo de salsão - suco de 1 limão - ½ colher de chá de missô. Bata tudo no liquidificador e sirva no intervalo da manhã ou da tarde.

# SOPAS DESINTOXICANTES

Levanta a imunidade: 1 xícara de arroz integral bem cozido - 3 beterrabas médias cruas - 3 colheres de sopa de tâmaras picadas - 3 colheres de sopa de amendoim cru - suco de 1 limão. Bata no liquidificador com um pouco de água até virar um creme. Consuma por 3 vezes ao dia a quantidade desejada.

Nutre e limpa: cozinhe em 2 litros de água 3 cebolas médias, 6 talos de aipo com folhas e tudo, 2 alhos-poró inteiros, 1 cabeça de alho miúdo ou 3-4 dentes graúdos. Deixe ferver por uns 40 minutos em fogo lento com a panela tampada. Passe todos os sólidos pela peneira para separar as fibras e devolva a massa para a panela e elimine o que não passou na peneira. Junte 3 xícaras de arroz integral pré-cozido e ferva por mais uns 10 minutos. Acrescente então as folhas rasgadas ou picadas de 1 maço de beterraba. Cozinhe por mais 1 minuto e desligue. Tempere no prato com 1 colher de chá de missô e folhas frescas de hortelã ou salsa. Sirva no almoço e jantar quantas xícaras desejar.

Sopa de centrífuga: 3 dentes de alho - 2 folhas de couve - 1 tomate grande (orgânico) - 2 talos de aipo. Envolva os dentes de alho na folha de couve. Passe tudo pela centrífuga. Coloque numa panela, aqueça em fogo brando. Não necessita ferver. Adicione gotas de molho shoyo ou uma pitada de missô e sirva imediatamente.

Estas receitas fazem parte do livro Alimentação Desintoxicante - Conceição Trucom - Editora Alaúde

Reprodução permitida desde que citada a fonte e a autora.

(Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida.)

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citada a autora e fonte.

Recomenda-se a leitura na íntegra do livro Alimentação Desintoxicante - editora Alaúde, o que possibilitará a prática desta filosofia de vida com consciência e responsabilidade.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008


ESTUDO DIZ QUE CHOCOLATE MEIO-AMARGO REDUZ PRESSÃO EM 15 DIAS
(Da BBC Brasil)


Comer alguns gramas de chocolate meio-amargo enriquecido por dia durante duas semanas pode ajudar a reduzir os riscos de doenças cardíacas, sugere um estudo publicado na edição de setembro da revista científica "Journal of Nutrition". Segundo a pesquisa, compostos conhecidos como flavonóides, presentes no cacau, principal ingrediente do chocolate, seriam os responsáveis pela ação benéfica do alimento.

Isso porque os flavonóides impulsionam o aumento da produção de óxido nítrico - uma substância química produzida pelo corpo que atua no relaxamento e dilatação das artérias. O consumo de chocolate enriquecido com os compostos ajudaria na redução da pressão sangüínea e da resistência à insulina - fatores que contribuem para diminuir o risco de doenças cardíacas.

"Nossa descoberta sugere que uma dieta com alimentos à base de cacau ricos em flavonóides e pouco calóricos pode ter um impacto positivo nos fatores de risco das doenças cardíacas", diz o estudo.

Impacto
A pesquisa das universidades de L'Aquila, na Itália, e Tufts, em Boston, foi feita com base nas informações de 11 homens e oito mulheres que apresentavam problemas de pressão alta e resistência à insulina. As pessoas foram divididas em dois grupos: o primeiro teve direito a comer 6g diárias de chocolate meio-amargo diariamente durante duas semanas; o segundo, a mesma quantidade de chocolate branco.

Depois de 15 dias, os pesquisadores observaram que a pressão sangüínea dos primeiros caiu de maneira significativa, enquanto entre os segundos nenhuma mudança foi verificada.

Pesquisas anteriores já haviam indicado os benefícios do cacau enriquecido com flavonóides na redução do risco de problemas cardíacos. No entanto, os pesquisadores ressaltam que a pesquisa atual demonstra os efeitos a curto prazo do consumo dessas substâncias na prevenção de doenças cardíacas.

Mas June Davison, especialista da British Heart Foundation (BHF), que trabalha para combater doenças cardíacas, afirmou que é preciso ter cautela com a dieta. "É importante lembrar que o chocolate é normalmente parte do problema de saúde cardíaca, não a solução", disse. "Todo mundo pode comer um chocolate de vez em quando. No entanto, comer cinco porções de frutas e vegetais é a melhor maneira de consumir antioxidantes sem ter que se preocupar com a gordura e o açúcar do chocolate", concluiu.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008


Eu particularmente acho que a Lua exerce SIM influencia na terra, nos sêres vivos, nas emoções, mas...



O QUE DIZ A CIÊNCIA SOBRE A INFLUÊNCIA DA LUA CHEIA?

Ao longo da história da humanidade, a lua cheia sempre esteve relacionada aos desequilíbrios emocionais, ao comportamento violento e à loucura. Não é a toa que a lua cheia é a lua dos amantes apaixonados, dos assassinos seriais, dos lobisomens e de diversas criaturas do folclore nacional. Acredita-se que, durante a lua cheia, aumentem o número de crimes violentos, de suicídios e das internações nos hospícios. A lua cheia também é relacionada à fertilidade e não é incomum que enfermeiras e médicos acreditem que mais mulheres dão à luz na lua cheia. No campo, muitos agricultores consultam a Lua antes de plantar ou podar, assim como nos salões de beleza muita gente faz o mesmo na hora de cortar o cabelo. Mas será que estes mitos lunares resistem aos dados da ciência?

Não é de hoje que cientistas buscam correlações entre a lua cheia e o comportamento humano. No que diz respeito aos nascimentos durante a lua cheia, o físico brasileiro Fernando Lang da Silveira foi um dos que colocou o mito à prova, em seu trabalho intitulado 'Marés, Fases da Lua e Bebês' (a versão final do trabalho, publicada no Caderno Brasileiro de Ensino de Física). Utilizando os dados de 93.000 estudantes cadastrados nos concursos da UFRGS e comparando-os com as tabelas lunares do Observatório Nacional, Fernando Lang, pôde constatar que não havia correlação entre o número de nascimentos e a fase da Lua. Na Espanha um estudo semelhante foi conduzido pelo Hospital de Cruces, na cidade de Barakald e tampouco foi detectado algum aumento no número de nascimentos durante a lua cheia. Mas o mais abrangente estudo sobre o assunto foi feito pelo astrônomo Daniel Caton, que em 2002 analisou mais de 70 milhões de registros de nascimentos ao longo dos últimos 20 anos. Sua conclusão foi inequívoca: não há nenhuma relação entre a lua cheia e o número de partos.

Quanto aos suicídios, diversos estudos mostraram que eles não são mais comuns durante a lua cheia como se pensa; pelo contrário: um estudo realizado pelo Instituto de Saúde Pública da Finlândia divulgado em 2000 mostrou que em 1.400 casos de suicídio ocorridos ao longo de um ano na Finlândia, uma quantidade significativamente maior ocorreu durante a lua nova, quando a luminosidade é menor.

Loucos não são chamados de lunáticos à toa. O mito de que a lua cheia provoca maior atividade nos hospícios é um dos mais populares entre os mitos lunares. Também é mais um a não encontrar apoio nos lúcidos dados estatísticos. O psicólogo canadense Ivan W. Kelly e seus colegas da Universidade de Saskatchewan investigaram em 1996 mais de 100 estudos relacionados ao efeito lunar e não encontraram nenhuma relação entre a lua cheia e algum comportamento que possa remotamente ser rotulado como lunático. Uma boa coleção destes estudos até a década de 80 pode ser encontrada no livro 'Astrology: True or False? - A Scientific Evaluation' de Roger Culver e Philip Lanna.

E quanto aos animais, geralmente mais irracionais que os homens? Será que pelo menos eles não ficam um tanto mais insanos na Lua cheia? Não segundo os pesquisadores Simon Chapman e Stephen Morrell da Universidade de Sidney. A pedido dos fazendeiros locais, que tinham como certo o fato de que os cães mordem mais pessoas na Lua cheia, os dois decidiram examinar o mito e produziram o estudo: 'Barking mad? Another lunatic hypothesis bites the dust'. A conclusão é de que pelo menos os cães canadenses não mordem as pessoas mais frequentemente na Lua cheia do que em outra luas (pelo menos não o suficiente para levá-las ao hospital). Este estudo vai de encontro a outro que mostrou resultado oposto com cães ingleses, mas que foi criticado por não tratar separadamente os finais de semana e feriados, onde normalmente os atendimentos são maiores.

E já que estamos falando em hospitais, um outro estudo - 'Effect of lunar cycle on temporal variation in cardiopulmonary arrest in seven emergency departments during 11 years' - publicado no European Journal of Emergency Medicine, desmonta o mito de que há mais atendimentos de emergência a pacientes cardíacos durante a lua cheia (embora tenha encontrado uma média de 6,5 % menos ressucitações na lua nova).

Outro mito popular é de que durante a lua cheia acontecem mais crimes, especialmente os violentos. Durante algum tempo, este mito gozou de alguma credibilidade científica, graças ao pesquisador Arnold L. Liber da Universidade de Miami. Liber investigou 14 anos de ocorrências policiais no estado da Flórida e disse ter encontrado maior atividade criminal durante a lua cheia. Este estudo até hoje é amplamente citado, especialmente pelos esotéricos, que vêem nele a prova de suas crenças, porém nenhum outro pesquisador conseguiu chegar aos mesmos resultados de Liber. O astrônomo George Abell da Universidade da Califórnia, por exemplo, ao analisar os mesmos dados, realmente constatou que o número de crimes aumenta nos períodos de maior calor e nos feriados, mas não encontrou nenhuma relação com a fase da lua. Já na Espanha o estudo 'Moon cycles and violent behaviours: myth or fact?' publicado no European Journal of Emergency Medicine analisou 1.100 casos de vítimas de agressão atendidos durante um ano no hospital universitário La Candelaria, em Tenerife, e não encontrou nenhuma relação entre os atendimentos e a fase da Lua. Nenhuma relação tampouco foi encontrada por Alex Pokorny e Joseph Jachimczyk, da Escola de Medicina Baylor de Houston, que nos anos 70 analisaram 2500 homicídios ocorridos no Texas, durante quatorze anos ('Astrology: True or False? - A Scientific Evaluation' de Roger Culver e Philip Lanna).

Já no campo, muitos agricultores acreditam que as colheitas são mais abundantes se as sementes forem plantadas nas fases certas da Lua. Mas não é só isso: em muitas regiões os fazendeiros também consultam a Lua antes de podar plantas, colher maçãs, fertilizar o solo, cortar madeira, castrar animais, desmamar crianças, assar bolos e até mesmo lançar as fundações de uma construção. A crença nos efeitos da Lua vai além das meras tradições populares transmitidas de pai para filho; nos EUA, o 'Almanaque do Fazendeiro' oficializa o mito e ensina, entre outras coisas, que o que o dia 21 de maio é perfeito para capinar o mato, já que a vegetação crescerá mais lentamente. O grupo Australian Skeptics é um dos poucos que colocou este mito à prova. Ao plantar sementes em luas 'boas' e 'ruins' os pesquisadores não encontraram nenhuma diferença significativa no tempo de germinação ou no peso dos vegetais colhidos.

Do crescimento da vegetação ao crescimento do cabelo basta um pulo para imaginação popular. Claro que você já ouviu falar que cortar o cabelo de acordo com a lua pode fazê-lo crescer mais rápido ou com mais volume. O site longhairlovers.com, por exemplo, ensina: 'para o cabelo crescer com mais volume corte-o quando a lua estiver cheia na casa de Touro, Câncer ou Leão', e por aí vai. No Rio Grande do Sul a empresa Pilomax embalou a superstição em um produto comercial e vende desde 1968 o Calendário Lunar Pilomax, mais um revolucionário tratamento que promete resolver o problema da queda de cabelos (um cliente satisfeito do sistema diz que usa o produto há vários anos e que ele funciona sim: os pêlos das suas costas, nariz e ouvidos cresceram bastante desde que começou o tratamento, mas não tanto os da cabeça, que continua careca; certamente, pensa ele, porque não levou em conta seu ascendente). Nem todos os cabeleireiros se deixam levar por este mito; os profissionais mais sérios o colocam na mesma categoria de outras superstições populares conhecidas por 'hair-voodoo' (do tipo: 'usar boné provoca queda de cabelo'). O dermatologista Valcinir Bedin, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo assegura que a Lua não influi na maneira e na velocidade com que o cabelo cresce e que independentemente da fase lunar, a média de crescimento mensal do cabelo é de 1 centímetro (Veja, edição 1638, 1/3/2000, p. 127).

De onde vêm os mitos lunares?

Praticamente todos os mitos relacionados à Lua vêm de uma falácia, ou seja, de uma associação lógica que parece verdadeira, mas não é. Todo mundo sabe que a Lua afeta as marés; ora, se nosso corpo é constituído em sua maior parte de água, ele não poderia também ser influenciado pela Lua, manifestando uma espécie de 'maré corporal'? Esta idéia parece tão lógica que já rendeu um livro inteiro: 'How the Moon Affects You' de Arnold L. Lieber (responsável pelo estudo que citamos acima), publicado pela primeira vez em 1978 com o nome 'The Lunar Effect'. (Neste livro, entre outras coisas Liber previu um grande terremoto na Califórnia em 1982, provocado pelo alinhamento dos planetas que ocorreu naquele ano. O terremoto não aconteceu, mas como isso não é coisa que costuma desanimar os futurólogos, Liber renovou a previsão na nova edição de seu livro, desta vez sem marcar a data).

Parece lógico, mas não é. O problema é que a influência da Lua nas marés é gravitacional (e não magnética como espalham alguns sites esotéricos por aí) e a força gravitacional é uma força muito, muito pequena (é a mais fraca das forças físicas conhecidas). Sendo tão pequena, a força gravitacional só se torna perceptível quando estão envolvidas massas muito, muito grandes, como, por exemplo, as massas da Lua e dos oceanos da Terra (esclarecendo: ela é proporcional às massas dos corpos e inversamente proporcional ao quadrado da distância entre eles). É por isso que, assim como você será incapaz de perceber marés em um copo d´água, também o nosso corpo não sentirá qualquer influência perceptível da Lua. De fato, um mosquito pousado no seu cabelo exerce mais força sobre ele do que a distante Lua, independentemente da fase.

Eis um outro problema para a teoria das tais marés corporais: como a força gravitacional depende da distância e como a distância entre a Lua e a Terra praticamente não se altera (a órbita da Lua é bem pouco elíptica), as marés não são provocadas pela fase da Lua. Sim, as marés são mais fortes na lua cheia e na lua nova, mas somente porque nestes períodos a Lua e o Sol estão alinhados e a força gravitacional dos dois exercida sobre os oceanos se soma. Assim, se alguém aceitar a teoria das marés corporais terá que reeditar todos os mitos lunares e incluir a lua nova entre eles.

Finalmente, o mito de que os ciclos menstruais são regidos pelos ciclos lunares envolve um mero probleminha de aproximação. O ciclo menstrual médio é de 28 dias (e isso porque apenas 30% das mulheres têm períodos que diferem de menos de dois dias da média) enquanto o ciclo lunar é de imutáveis 29,53 dias. A diferença de 1 dia e meio não perturbou nossos ancestrais que inclusive colocaram na raiz da palavra menstruação, a palavra grega para Lua (menus). Em todo o caso, aqueles que vêem algo de espetacular no fato de que, entre todos os mamíferos, apenas a mulher apresenta um ciclo de ovulação mais ou menos parecido com o lunar, está negligenciando a pequenina cuíca, um marsupial semelhante ao gambá, nativo das Américas. A cuíca (opossum) também tem um ciclo de aproximadamente 28 dias. É de se imaginar o misterioso desígnio que reservaria unicamente às mulheres e cuícas um ciclo de ovulação quase igual ao lunar...

Fonte - http://tc.hypescience.com/hype.asp?cod=241

quinta-feira, 14 de agosto de 2008


NEUROCOSMETICOS - Felicidade em potes

(FONTE: Dra. Ana Maria Albuquerque - http://delas.ig.com.br/materias/363501-364000/363991/363991_1.html)

Já não é surpresa que a felicidade interior reflete-se numa pele mais bonita e saudável. Pois é justamente este conceito que está revolucionando a estética e impulsionou o aparecimento de um tipo de produto que alia os poderes da cosmetologia com qualidade de vida: os neurocosméticos.

Os neurocosméticos prometem atuar na comunicação entre o cérebro e as estruturas dermais para manter a pele mais bonita.

A ciência já provou que o estresse é capaz de influenciar todo o sistema nervoso, conseqüentemente atingindo a pele. As células estressadas geram cargas dobradas ou triplicadas e completamente desordenadas. Então, ocorre um desequilíbrio interno na estrutura celular e o metabolismo é acelerado, o que colabora para o aparecimento de radicais livres e do envelhecimento precoce.

Esta nova aposta da indústria da beleza propõe o rejuvenescimento ao relaxar e proteger as células nervosas da pele e estimular a produção de endorfina, popularmente conhecida como o hormônio da felicidade. Eles se dividem em dois tipos principais de ação: os cosméticos Neurosensoriais e os cosméticos de Neuroproteção.

As duas substâncias estão disponíveis em produtos sobre prescrição médica e algumas marcas já apostam em sua aplicação doméstica, inclusive em produtos para o público masculino. Como ambas estão indicadas como tratamento antienvelhecimento, devem ser usadas em pessoas com mais de 30 anos, associados ou não a outros princípios ativos. Saiba mais sobre elas:

Neurosensorial
O Neurosensorial visa propor um bem-estar duradouro, real, através da liberação dos "agentes da felicidade" - as betas-endorfinas. Elas promovem efeito antienvelhecimento, melhorando a vitalidade da pele e proporcionando uma sensação de bem-estar. Além disso, melhora a firmeza cutânea, diminuindo a profundidade das rugas. Para quem deseja aproveitar os benefícios dessas substâncias, no Brasil está disponível o Endorphin, um neurosensorial de origem natural composto de polifenóis de cacau e extrato da flor da Tephrosia Purpúrea.

Neuroprotetores
Os Neuroprotetores protegem os neurônios cutâneos responsáveis pelo comando e equilíbrio das trocas celulares, através da ação "NGF-Like" (o NGF é uma substância produzida naturalmente pelo corpo para sobrevivência, bom funcionamento e proteção dos neurônios). O primeiro ativo deste gênero que já está disponível no mercado nacional é o Neuroxyl, composto por dois tipos de neuropeptídeos que agem na preservação da rede neuronal cutânea, sendo assim, preservam os neurônios que agem sobre a pele.

Acorde renovada
O melhor horário para aplicar os neurocosméticos é antes de dormir. É neste horário em que a derme aumenta a circulação sanguínea e promove uma varredura dos radicais livres acumulados durante o dia e ainda reestrutura seu DNA e produz colágeno. Por todos esses motivos, este é o período ideal para a absorção dos neurocosméticos, ideais para uma noite repleta de bons sonhos.


--------------------------------------------------------------------------------
Para saber qual o tipo de formulação mais adequada para seu tipo de pele e faixa etária, consulte o dermatologista.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

REFEIÇÕES SIMPLES E SAUDÁVEIS O ANO INTEIRO





A simplicidade das refeições facilita a digestão e
a diversidade na alimentação assegura a boa nutrição

Qualidades importantes dos alimentos


Integrais
O valor nutritivo dos alimentos integrais é sempre superior ao dos alimentos fracionados, concentrados ou refinados. Fragmentos refinados de alimentos integrais podem até conter doses elevadas de determinados nutrientes, mas perderam o seu equilíbrio nutricional. O organismo absorve melhor os nutrientes em pequenas doses. Em doses elevadas a absorção é muito pequena.

Frescos
Frutas e hortaliças frescas agradam todos os nossos sentidos. Alimentos em sacos, caixas, latas, garrafas e outros tipos de embalagens são menos nutritivos. Lembre-se que qualquer tipo de processamento resulta em perda de nutrientes.

Crus
O cozimento destrói grande parte do valor nutritivo dos alimentos. Inúmeras provas relacionam o hábito de comer alimentos cozidos a mais de 90% de todas as doenças. "Voltar à Natureza" inclui uma alimentação predominantemente crua.

Vegetais
O ser humano tem constituição semelhante a outros animais herbívoros. As plantas nos fornecem todos os nutrientes e apresentam um equilíbrio maior de nutrientes do que os alimentos de origem animal. A alimentação baseada em vegetais requer menor utilização da superfície do nosso planeta por pessoa e menos água, além de não prejudicar o meio ambiente.

Orgânicos
A batalha dos pesticidas é uma causa perdida. Tentamos, sem sucesso, matar as pragas e acabamos matando a nós mesmos. Tudo que vive sofre quando espalhamos venenos químicos. Precisamos investir na saúde do solo, nutrindo-o e reabastecendo-o. Ficou provado que a agricultura orgânica é mais saudável, mais barata e renovável.

Maduros
As plantas tornam-se mais fáceis de digerir quando amadurecidas. Os carboidratos complexos, contidos nas frutas, se transformam em açúcares simples, durante o processo de amadurecimento - atingindo o ponto máximo de doçura. Os nutrientes se tornam mais acessíveis na planta madura. As frutas e hortaliças maduras são muito atraentes - têm sabor, cor, aroma e textura que atraem nossa atenção.

Deliciosos
A digestão melhora quando gostamos daquilo que comemos. Quando vemos as frutas, a boca se enche de saliva, dando início ao processo digestivo. Aprendemos a associar o aroma das frutas maduras à satisfação. Quando a comida tem um sabor delicioso, nosso prazer aumenta.

Bem combinados
Cada alimento deve ser consumido separadamente. Alimentos similares, como pêssegos e nectarinas, são bem digeridos em conjunto. Combinações simples de itens compatíveis, como alface e frutas, geralmente são bem digeridas. Quando as refeições se tornam complexas, ou os alimentos não combinam, a digestão fica comprometida.

Alimentos saudáveis

Este alimento pode substituir uma refeição
Deve ser possível consumir o alimento como uma refeição completa - isso comprova o seu valor para a saúde. Enquanto é possível alimentar-se até a saciedade com qualquer fruta e com a maioria das hortaliças, as pimentas fortes não dariam uma refeição completa. Logo, apenas pouco desses alimentos deve ser consumido.

Podemos comê-lo cru e em sua forma integral?
Quando cozidos, os alimentos sempre perdem nutrientes e ganham substâncias que causam doenças; sendo assim, não é pré-requisito para uma alimentação saudável. Alimentos crus são necessários para a saúde. Entretanto, certas pessoas, cuja saúde está comprometida e cuja digestão não funciona bem, sentem-se melhor adicionando alimentos cozidos à sua alimentação. Os alimentos, que precisam ser cozidos para serem digeríveis ou "seguros", devem ser consumidos o mínimo possível.

Você o daria para um bebê?
Quando somos bebês, recebemos os melhores cuidados, mas quando crescemos nossa tendência é abusar. Merecemos os melhores cuidados também quando nos tornamos adultos. Seria uma crueldade dar a uma criança substâncias picantes, muito ácidas ou irritantes, e lhe oferecer alimentos estimulantes. O paladar de um adulto pode se tornar tão seletivo quanto o de uma criança, especialmente se você estimula o seu desenvolvimento através de uma alimentação saudável.
____
Fonte: Dr. Douglas N. Graham, Marathon, Florida, EUA

segunda-feira, 28 de julho de 2008




QUEM TE FAZ FELIZ ?





Durante um seminário para casais, perguntaram a uma das esposas: -

'Seu marido a faz feliz? Ele a faz feliz de verdade?'



Neste momento, o marido levantou seu pescoço, demonstrando total segurança.

Ele sabia que a sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia

reclamado de algo durante o casamento.

Todavia, sua esposa respondeu a pergunta com um sonoro 'NÃO', daqueles

bem redondos e retumbantes!

- 'Não, o meu marido não me faz feliz'! (Neste momento o marido já

procurava a porta de saída mais próxima).

- 'Meu marido nunca me fez feliz e não me faz feliz! Eu sou feliz'.

E continuou:

- 'O fato de eu ser feliz ou não, não depende dele; e sim de mim.

Eu sou a única pessoa da qual depende a minha felicidade.

Eu determino ser feliz em cada situação e em cada momento da minha

vida, pois se a minha felicidade dependesse de alguma pessoa, coisa ou

circunstância sobre a face da Terra, eu estaria com sérios problemas.

Tudo o que existe nesta vida muda constantemente: o ser humano, as

riquezas, o meu corpo, o clima, o meu chefe, os prazeres, os amigos,

minha saúde física e mental. E assim eu poderia citar uma lista

interminável.

Eu decido ser feliz!

Se tenho hoje minha casa vazia ou cheia: sou feliz!

Se vou sair acompanhada ou sozinha: sou feliz! Se meu emprego é bem

remunerado ou não: eu sou feliz!

Sou casada mas era feliz quando estava solteira. Eu sou feliz por mim mesma.

As demais coisas, pessoas, momentos ou situações eu chamo de

'experiências que podem ou não me proporcionar momentos de alegria e

tristeza'. Quando alguém que eu amo morre eu sou uma pessoa feliz num

momento inevitável de tristeza.

Aprendo com as experiências passageiras e vivo as que são eternas como

amar, perdoar, ajudar, compreender, aceitar, consolar.

Há pessoas que dizem: hoje não posso ser feliz porque estou doente,

porque não tenho dinheiro, porque faz muito calor, porque alguém me

insultou, porque alguém deixou de me amar, porque eu não soube me dar

valor, porque meu marido não é como eu esperava, porque meus filhos

não me fazem felizes, porque meus amigos não me fazem felizes, porque

meu emprego é medíocre e por aí vai.

Eu amo meu marido e me sinto amada por ele desde que nos casamos. Amo

a vida que tenho mas não porque minha vida é mais fácil do que a dos

outros. É porque eu decidi ser feliz como indivíduo e me

responsabilizo por minha felicidade. Quando eu tiro essa obrigação do

meu marido e de qualquer outra pessoa, deixo-os livres do peso de me

carregar nos ombros. A vida de todos fica muito mais leve. E é dessa

forma que consegui um casamento bem sucedido ao longo de tantos anos'.

Nunca deixe nas mãos de ninguém uma responsabilidade tão grande quanto

a de assumir e promover sua felicidade.

SEJA FELIZ, mesmo que faça calor, mesmo que esteja doente, mesmo que

não tenha dinheiro, mesmo que alguém o tenha machucado, magoado, mesmo

que alguém não o ame ou não lhe dê o devido valor.



(www.antonioroberto.com.br)



"NINGUÉM FAZ NINGUÉM FELIZ, CADA UM CONSTROI SUA PRÓPRIA FELICIDADE E A COMPARTILHA COM O PRÓXIMO." (A.R.)

segunda-feira, 14 de julho de 2008


Quando o luxo vem sem etiqueta...

O cara desce na estação do metrô de NY vestindo jeans, camiseta e
boné, encosta-se próximo à entrada, tira o violino da caixa e começa
a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora
do rush matinal.
O vídeo da apresentação no metrô está no You Tube:

http://www.youtube. com/watch? v=hnOPu0_ YWhw

Durante os 45 minutos que tocou, foi praticamente ignorado pelos
passantes, ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos
maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas
num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais
de 3 milhões de dólares.
Alguns dias antes Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde
os melhores lugares custam a bagatela de 1000 dólares.
A experiência, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar
ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no
pescoço, indiferentes ao som do violino. A iniciativa realizada pelo
jornal The Washington Post era a de lançar um debate sobre valor,
contexto e arte.
A conclusão: estamos acostumados a dar valor às coisas quando estão
num contexto.
Bell era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem
etiqueta de grife.

terça-feira, 1 de julho de 2008


VOCÊ MERECE AMOR ??

Quando indagamos a algumas pessoas se elas se consideram merecedoras de amor, muitas podem a principio até responder a pergunta com uma afirmativa. Porém, em seu cotidiano, acabam se acomodando em situações que em nada refletem este pensamento.

Considerar-se merecedor de amor é uma atitude interior diretamente relacionada a uma sólida auto-estima. Quando você se ama verdadeiramente, acredita que tem direito a ter sempre o melhor que a vida tem a oferecer.

Existem aqueles que identificam a vida com a idéia de sacrifício, de sofrimento inevitável, ao qual se habituam de modo conformado, por acreditar que não existe outra maneira de se viver, pelo menos não para elas.

Já os que se consideram merecedores de amor, sempre procuram, em cada situação, encontrar a saída mais objetiva, aquela que apresente o menor índice de estresse e desgaste possível.

Respeitar a nós mesmos exige, a cada momento, que façamos escolhas adequadas, em sintonia com este sentimento. Isto inclui afastar ou pelo menos manter o mais distante possível de nós, pessoas ou situações que violentem nossa individualidade.

...
O amor próprio nos torna mais seletivos e às vezes mal compreendidos por aqueles que insistem em invadir nosso espaço, tanto interior, como exterior.
Ele não é característico do ego e nem deve ser confundido com arrogância ou orgulho. É simplesmente a consciência de nosso poder interior, é reconhecer nossas qualidades, sem que façamos comparações ou nos sintamos inferiores ou superiores a quem quer que seja.

Somos seres únicos, cada qual carregando sua própria individualidade e expressando, à sua maneira, a essência divina comum a toda espécie humana.
Quanto mais nos conectarmos com esta essência, maior será a consciência de nosso valor.

...
"...Amor não é algo que você tenta ganhar do outro. E essa tem sido toda a história do amor – todo mundo está tentando ganhar amor do outro, tanto quanto possível. Ambos estão tentando ganhar e, naturalmente, ninguém está ganhando nada.
O amor não é algo a ser obtido.
Amor é algo a ser dado.
Mas você só pode dar quando você o tem.

Você tem amor dentro de você? Você já se fez essa pergunta?
Quando, sentado em silêncio, você já observou? Você tem alguma energia de amor para dar?
Você não tem; nem os outros têm. Então você cai em um relacionamento de amor. Ambos fantasiam, fingindo que vão dar ao outro o próprio paraíso. Ambos estão tentando convencer o outro que "Quando você se casar comigo, as mil e uma noites da Arábia ficarão esquecidas - nossas noites, nossos dias serão todos dourados".
Mas você não sabe que não tem nada a dar. Todas essas coisas que você está dizendo estão relacionadas ao que você quer ganhar. E o outro está fazendo o mesmo. Uma vez casados, então virão os problemas, porque ambos estão esperando as mil e uma noites e nem mesmo uma noite indiana está acontecendo!
Então vem uma raiva, uma fúria que, pouco a pouco, se torna venenosa.
O amor se transformando em ódio é um fenômeno muito simples, porque todo mundo se sente traído.

O relacionamento humano precisa de compreensão.
Minha sugestão é: medite. Torne-se mais e mais silencioso, calmo, tranqüilo. Deixe uma serenidade surgir em você.
Isso lhe ajudará de mil e uma maneiras, não apenas no amor".

...
OSHO, Sermons in Stones.

Texto:Elisabeth Cavalcante

terça-feira, 3 de junho de 2008

DOR E PRAZER
© Mario Persona
http://www.mariopersona.com.br/cafe/archives/00000229.htm

O cérebro é incrível. Ele esquece a dor, mas não o prazer. Quero
dizer, você até se lembra que sentiu dor, mas não volta a senti-la
só de lembrar. O prazer sim. Se não fosse assim, cada mãe só teria
um parto e ninguém teria irmãos.

E foi graças a essa particularidade do cérebro esquecer que acabei
me esquecendo da última vez que a operadora ofereceu um novo
celular em troca de meus pontos acumulados. A experiência doeu
tanto que serviu de inspiração para a crônica "Prêmio e Castigo".
Agora minha operadora de celular voltou a me inspirar.

Sim, ganhei outro aparelho e, num surto de amnésia que me deixou
indiferente à dor, fui correndo à loja em busca do prazer de um
modelo mais moderno.

- Para receber o aparelho novo o senhor precisa assinar uma linha
pré-paga no velho - explicou a moça.

Protestei, mas ela disse que aquela era a condição, que eu ganhava
32 reais de bônus para gastar à vontade, e que depois era só
cancelar a linha. Quem é capaz de resistir a tanto prazer? Fui na
conversa da moça, que provavelmente me enrolava para atingir sua
quota de vendas. Aceitei.

Depois de duas ligações usando o aparelho velho, preferi jogá-lo
numa gaveta sem me preocupar em gastar o saldo. Ficou lá até
aparecer uma cobrança de 32 reais. Liguei para a operadora, ouvi
todas as músicas da espera e pedi para cancelar a linha que nunca
quis.

- Para cancelar o senhor precisa pagar os 32 reais. O bônus só
vale para quem não desiste.

Paguei para desistir.

Um mês depois, nova conta, mais 32 reais. Liguei, ouvi todo o
repertório musical e fui atendido pela atendente da triagem que,
depois de ouvir minha história de dezoito páginas, passou para o
setor de cancelamentos. Reprisei a história e a nova atendente
mostrou-se indignada.

- Como o senhor pode ter recebido nova cobrança?! Isso está
errado! Sua linha foi encerrada há um mês no sistema! Estou vendo
bem aqui. O senhor não pode receber cobrança!

Quase acreditei ter encontrado uma aliada do outro lado da linha.

- Então você vai providenciar...

- Não, senhor, isso é com o departamento de contas e daqui não dá
para transferir. O senhor precisa ligar lá...

Entendi. O call-center do cancelamento deve ficar em Porto Alegre
e o de contas em Belém do Pará. Por isso as meninas nunca se
encontram. Nova ligação, mais música de espera e, finalmente, a
atendente da triagem.

- Não posso transferir o senhor para contas porque meu sistema
está fora do ar e não tenho como verificar suas informações. Em um
prazo de 5 dias o senhor terá uma resposta. Anote o número do
protocolo de seu chamado...

Já nem anoto mais esses números porque nunca me serviram. Mas vou
repetindo com a atendente como se estivesse anotando.

- Cinco... zero... seis... você disse seis ou meia-dúzia?

A bateria está quase acabando, por isso é melhor encerrar esta
crônica contando que há pouco recebi um e-mail (sim, minhas
súplicas também foram por e-mail) que diz:

"...na data de hoje efetuamos a retificação do valor de R$ 32,00
cobrados indevidamente em sua fatura."

Retificação do valor significa que não preciso mais pagar ou que
agora vou pagar um valor retificado? Bem, vou esperar para ver se
meu nome não vai para o cartório.

Tem gente louca para saber o nome da operadora. Não digo. Afinal,
ela não me proporciona só dor, mas seu atendimento também me dá
prazer. Não estou louco, não. Anote aí esta dica e você vai passar
a gostar de esperar pela atendente:

Coloque o telefone no viva-voz e continue trabalhando, como eu fiz
durante todo o tempo da espera. Se quiser sofisticar, ligue num
amplificador.

O que? Sua operadora toca "Pour Elise", a música do caminhão de
gás? É por isso que não troco a minha. É a que oferece o melhor
repertório de espera. Hoje ouvi um programa inteiro só de bossa-nova.

---
Mario Persona www.mariopersona.com.br é escritor, palestrante e
consultor de comunicação e marketing.

sábado, 17 de maio de 2008

SINTOMAS DE INFARTO SÃO DIFERENTES EM HOMENS E MULHERES - diz estudo..




Mulheres costumam se queixar menos da clássica dor no peito.

Em compensação, elas apresentam sintomas genéricos, como náuseas e

fraqueza.

Os poetas e músicos já desistiram de entender o coração das mulheres,

mas agora parece que os cardiologistas também descobriram que essa não

é mesmo uma tarefa fácil.

O infarto do miocárdio ainda é visto como sendo um problema mais comum

no sexo masculino, porém as estatísticas mostram que cada vez mais

mulheres estão sofrendo desse problema.

Luis Fernando Correia é médico e apresentador do 'Saúde em Foco', da

CBN; veja o site

Talvez por conta da predominância masculinam as campanhas de alerta

para os sintomas do infarto sempre usaram as descrições dos sintomas

apresentados pelos homens. Mas será que nas mulheres esses sintomas

são diferentes?

Para responder a essa pergunta, pesquisadores de várias universidades

norte-americanas, apoiados pelos Institutos Nacional de Saúde, revisaram

cerca de 70 artigos publicados nos últimos 35 anos que descreviam os

sintomas dos pacientes que chegaram aos hospitais com infarto do

miocárdio. Foram mais de meio milhão de casos que permitiam a análise

dos sintomas iniciais.

Trabalhos anteriores haviam detectado que as mulheres costumam demorar

a procurar os serviços de emergência quando sentem dor no peito e que

esse sintoma não é tão freqüente quanto nos homens.

O resultado da revisão dos artigos científicos mostrou que o número de

mulheres que se queixam da clássica dor no peito do infarto é pelo menos

10 % menor do que os homens. Nas mulheres o desconforto no peito

frequentemente vem acompanhado de outros sintomas mais vagos, como

fraqueza e náuseas.

Outro dado levantado foi de que as mulheres sofrem os infartos mais tarde

-- que costumam ser associados a outras doenças como diabetes e

hipertensão arterial.

Essa diferença de idade talvez explique porque a mortalidade feminina por

Página 1 de 2 em May de Friday de 2008 @ 23:27:32 BRT.

causa do infarto é maior do que a masculina.

O mais importante é que todos estejam alertas para qualquer sintoma que

possa sugerir um infarto, pois o tempo até o atendimento é crucial para

diminuir o impacto do infarto sobre o coração e até mesmo salvar uma vida.

Fique alerta para:

Dor no peito em aperto ou sensação de peso sobre peito

Irradiação da dor para o braço, ombro ou pescoço.

Piora dos sintomas com esforços

Associação desses sintomas com náuseas, vômitos ou fraqueza.

No caso de quaisquer desses sintomas procure atendimento médico

imediato. Seu coração agradece.



Esta Notícia é proveniente do AVV Associação VivaVida:

http://www.avv.com.br

A URL para a Notícia é:

http://www.avv.com.br/index.php?op=NEArticle&sid=10