terça-feira, 26 de novembro de 2013

Como eram as escovas de dente antigamente?
image

A história e a evolução da escova de dentes tem suas origens nos “pauzinhos de mastigar” usados pelos cidadãos da Babilônia em 3500 AC. A literatura grega e romana antigas também mencionam palitos de dentes primitivos que eram mastigados para ajudar a manter os dentes e a boca limpos.
Com o passar dos anos, os palitos de dentes se transformaram em um “palito de mascar” do tamanho de um lápis hoje em dia.
Um dos lados desse palito era mascado até que o mesmo se tornava macio como uma escova de dentes, enquanto que o outro lado do palito era pontudo e por isso utilizado para retirar restos de comida que ficavam entre os dentes após as refeições. Os palitos vinham de gravetos provenientes de árvores aromáticas e ajudavam também a limpar e refrescar o hálito. O registro mais antigo que mostra o uso desses gravetos é encontrada na literatura chinesa de meados de 1600 AC.
A primeira escova de dentes com fiozinhos também originou-se na China, por volta de 1600 DC. Por volta de 1780, a primeira escova de dentes foi feita por William Addis da cidade de Clerkenald, Inglaterra. Mais tarde, Addis e seus descendentes, fabricaram a melhor das escovas de dentes inglesas nas quais os cabos eram feitos com ossos de bovinos e as pontas eram feitas com fibras naturais e mantidas ali com fios de arame bem finos. Essas fibras naturais eram colhidas dos pescoços e ombros de suínos, especialmente de porcos que viviam em climas frios como o da Sibéria e o da China.
Por volta do início dos anos de 1800, as escovas com fibras já se encontravam em uso pela população em geral na Europa e no Japão. Em 1857, o americano H.N. Wadsworth foi reconhecido com a primeira patente de escovas de dentes quando os Estados Unidos entravam em um período de expansão no mercado de escovas de dentes. Em 1844, a primeira escova de dentes foi fabricada manualmente e patenteada como uma escova com três filas de fibras pelo Dr. Meyer L. Rhein. Em 1885, a fábrica Florence Manufacturing Company do estado de Massachusetts, EUA, em sociedade com o Dr. Rhein, começou a produzir a escova Pro-phy-lac-tic para venda no mercado americano.
Com o progresso da tecnologia, fibras sintéticas substituiram as fibras naturais extraídas de suínos. Fibras de Nylon foram inicialmente aplicadas na fabricação de escovas de dentes por volta de 1938 e em meados de 1939, escovas de dentes elétricas apareceram no mercado em uma tentativa de oferecer ao público uma escova que pudesse estimular a ação de uma escova manual mas com melhores resultados e performance de limpeza.
Difícil acreditar, mas a maiorias dos americanos não tinham como hábito escovar os dentes até que soldados trouxeram consigo o hábito que tinha sido obrigatório no exército durante a Segunda Grande Guerra. A primeira escova de dentes elétrica verdadeiramente eficiente foi produzida em 1939 na Suíça.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Achei isso simplesmente lindo...


Quando você toca alguém, nunca toque só um corpo. Quer dizer, não esqueça que você toca uma pessoa e que neste corpo está toda a memória de sua existência. E, mais profundamente ainda, quando você toca um corpo, lembre-se de que você toca um Sopro, que este Sopro é o sopro de uma pessoa com seus entraves e dificuldades e, também, é o grande Sopro do universo. Assim, quando você toca um corpo, lembre-se de que você toca um Templo.        (Jean Yves Leloup)

sábado, 16 de novembro de 2013

Atitudes que drenam energia

mulher-energia

  

1. Pensamentos obsessivos - Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.

2. Sentimentos tóxicos - Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.

3. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo - Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.

4. Fugir do presente - As energias são colocadas onde a atenção é focada.
O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: "bons tempos aqueles!", costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.

5. Falta de perdão - Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e a si mesmo, fica "energeticamente obeso", carregando fardos passados.

6. Mentira pessoal - Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.

7. Viver a vida do outro - Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.

8. Bagunça e projetos inacabados - A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro "escape" de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe "diz" inconscientemente: "você não me terminou! Você não me terminou!" Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da determinação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.

9. Afastamento da natureza - A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.

(FONTE: http://peroquelashay.blogspot.com/2007/11/atitudes-que-drenam-energia.html)

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Confie sempre

 Chico Xavier
confia sempreNão percas a tua fé entre as sombras do mundo. Ainda Que Os Teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima De ti mesmo. Crê e trabalha. Esforça-te no bem e espera Com paciência. Tudo passa e tudo se renova na terra, mas o que vem do céu permanecerá. De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança Em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação Da fé e prosseguir vivendo. Eleva, pois, o teu olhar e caminha. Luta e serve. Aprende e adianta-te. Brilha a alvorada além da noite. Hoje, é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte. Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.
A sua irritação não solucionará problema algum…
As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas…
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida…
A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus…
A sua tristeza não iluminará os caminhos…
O seu desânimo não edificará ninguém…
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade…
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você…
Não estrague o seu dia.
Aprenda a sabedoria divina,
A desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre…
Para o infinito bem!