quinta-feira, 19 de agosto de 2010



CÉU E INFERNO ÍNTIMOS
 (Essa história de autoria desconhecida está presente no volume 3 da coleção FRASES, DICAS E HISTÓRIAS MARAVILHOSAS)

        Conta-se que um dia um samurai, grande e forte, conhecido pela sua índole violenta, foi procurar um sábio monge em busca de respostas para suas dúvidas.
        - Monge, - disse o samurai com desejo sincero de aprender - ensina-me sobre o céu e o inferno.
        O monge, de pequena estatura e muito franzino, olhou para o bravo guerreiro e, simulando desprezo, lhe disse:
        - Eu não poderia ensinar-lhe coisa alguma, você está imundo. Seu mau cheiro é insuportável. Ademais, a lâmina da sua espada está enferrujada. Você é uma vergonha para a sua classe.
        O samurai ficou enfurecido. O sangue lhe subiu ao rosto e ele não conseguiu dizer nenhuma palavra, tamanha era sua raiva. Empunhou a espada, ergueu-a sobre a cabeça e se preparou para decapitar o monge.
        - Aí começa o inferno - disse-lhe o sábio mansamente.
        O samurai ficou imóvel. A sabedoria daquele pequeno homem o impressionara. Afinal, arriscou a própria vida para lhe ensinar sobre o inferno. O bravo guerreiro abaixou lentamente a espada e agradeceu ao monge pelo valioso ensinamento.
        O velho sábio continuou em silencio.
        Passado algum tempo o samurai, já com a intimidade pacificada, pediu humildemente ao monge que lhe perdoasse o gesto infeliz. Percebendo que seu pedido era sincero, o monge lhe falou:
        - Aí começa o céu. 
       
        Para nós, resta a importante lição sobre o céu e o inferno que podemos construir na própria intimidade. Tanto o céu quanto o inferno, são estados de alma que nós próprios elegemos no nosso dia-a-dia. A cada instante somos convidados a tomar decisões que definirão o início do céu ou o começo do inferno.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ESCUTATÓRIA
                          - Rubem Alves -


rubem alves
Sempre vejo anunciados cursos de oratória.
Nunca vi anunciado curso de escutatória.
Todo mundo quer aprender a falar…
Ninguém quer aprender a ouvir.
Pensei em oferecer um curso de escutatória,
mas acho que ninguém vai se matricular.
Escutar é complicado e sutil.
Diz Alberto Caeiro que…
Não é bastante não ser cego para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma.
Filosofia é um monte de idéias, dentro da cabeça, sobre como são as coisas.
Para se ver, é preciso que a cabeça esteja vazia.
Parafraseio o Alberto Caeiro:
Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito.
É preciso também que haja silêncio dentro da alma.
Daí a dificuldade:
A gente não agüenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor…
Sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer.
Como se aquilo que ele diz não fosse digno de descansada consideração…
E precisasse ser complementado por aquilo que a gente tem a dizer,
que é muito melhor.
Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante
e sutil de nossa arrogância e vaidade.
No fundo, somos os mais bonitos…
Tenho um velho amigo, Jovelino,
que se mudou para os Estados Unidos estimulado pela revolução de 64.
Contou-me de sua experiência com os índios:
Reunidos os participantes, ninguém fala.
Há um longo, longo silêncio.
Vejam a semelhança….
Os pianistas, por exemplo, antes de iniciar o concerto, diante do piano,
ficam assentados em silêncio…
Abrindo vazios de silêncio… Expulsando todas as idéias estranhas.
Todos em silêncio, à espera do pensamento essencial.
Aí, de repente, alguém fala.
Curto. Todos ouvem. Terminada a fala, novo silêncio.
Falar logo em seguida seria um grande desrespeito,
pois o outro falou os seus pensamentos…
Pensamentos que ele julgava essenciais.
São-me estranhos.
É preciso tempo para entender o que o outro falou.
Se eu falar logo a seguir…. São duas as possibilidades.
Primeira: Fiquei em silêncio só por delicadeza.
Na verdade, não ouvi o que você falou.
Enquanto você falava,
eu pensava nas coisas que iria falar quando você terminasse sua (tola) fala.
Falo como se você não tivesse falado.
Segunda: Ouvi o que você falou.
Mas, isso que você falou como novidade eu já pensei há muito tempo.
É coisa velha para mim. Tanto que nem preciso pensar sobre o que você falou.
Em ambos os casos,
estou chamando o outro de tolo. O que é pior que uma bofetada.
O longo silêncio quer dizer:
Estou ponderando cuidadosamente tudo aquilo que você falou.
E, assim vai a reunião.
Não basta o silêncio de fora. É preciso silêncio dentro. Ausência de pensamentos.
E aí, quando se faz o silêncio dentro, a gente começa a ouvir coisas que não ouvia.
Eu comecei a ouvir.
Fernando Pessoa conhecia a experiência…
E, se referia a algo que se ouve nos interstícios das palavras…
No lugar onde não há palavras.
A música acontece no silêncio. A alma é uma catedral submersa.
No fundo do mar – quem faz mergulho sabe – a boca fica fechada.
Somos todos olhos e ouvidos.
Aí, livres dos ruídos do falatório e dos saberes da filosofia,
ouvimos a melodia que não havia…
Que de tão linda nos faz chorar.
Para mim, Deus é isto: A beleza que se ouve no silêncio.
Daí a importância de saber ouvir os outros: A beleza mora lá também.
Comunhão é quando a beleza do outro
e a beleza da gente se juntam num contraponto.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Algumas propriedades terapêuticas dos temperos 

Além de realçar o sabor dos alimentos alguns temperos têm ainda a função de possuir propriedades terapêuticas.
É claro que estes temperos não substituem remédios e nem tão pouco a atenção médica mas, a título de curiosidade, confira um pouco mais sobre suas propriedades.
Alecrim: O Alecrim fica delicioso no tempero de frangos. É uma planta que ama o calor e a vida. Ele aquece e estimula o cérebro e o corpo, é ótimo como cardiotônico, estimulante, anti-reumático, resolve rapidamente dores de estômago e azias, restitui a energia dos cansados e estressados por muito esforço mental. Também é bom para tosses, bronquites, e problemas respiratórios. Usado externamente é bom para limpar feridas, principalmente de diabéticos e pessoas que tem dificuldades de cicatrização.
Cebolinha: É sempre uma boa pedida ter num pequeno canteiro em casa ou no apartamento por tomar muito pouco espaço. É indicada para manter a saúde do intestino além de impedir a formação de coágulos no sangue.
A cebolinha também reduz a pressão arterial, controla o colesterol e possui um gosto bastante agradável em harmonia com saladas de alface e tomate, sopas (cremes, caldinhos..). Tem propriedades de baixar a pressão sanguínea.
Nota: Seu consumo deve ser picadinha e crú, para garantir se potencial.
Coentro: Como condimento, é usado em frutos do mar. As sementes aromatizam marinados e vinagres e são usadas em licores. Tem efeito medicinal contra má digestão, gases, cólicas abdominais e enjôos.
Erva doce: Fica delicioso no bolo de fubá, broas, biscoitinhos.Tem efeito calmante, diurético, antiasmático e digestivo. Se tomado na fase da amamentação pode estimular o aumento da produção de leite.
Hortelã: Auxilia na digestão e acalma; além disso, suas folhas quando mascadas aliviam e refrescam o hálito;
Louro: Como condimento, usado no feijão, em peixes e carnes fritas e em marinadas ou molhos. Uso medicinal em casos de inapetência, flatulência, fraqueza orgânica, má digestão, nevralgia e fraqueza neuromuscular. As folhas secas tem sabor mais acentuado do que as frescas.
Manjericão: para tempero de carnes, molhos de tomate, peixes e aves. Deve ser utilizado fresco, pois quando seco perde o aroma das folhas. Aromatiza e dá sabor aos pratos, sendo um ingrediente muito utilizado em pizzas. É recomendável utilizar sempre ao fim do cozimento para manter o sabor de suas folhas. Para conservar esse tempero é possível colocar as folhas em recipiente imersa em óleo comestível. Tem propriedades tônicas e digestivas, além de antissépticas. Pode ser utilizado também como repelente de insetos.

Orégano: Na culinária, o orégano é utilizado para temperar pratos oriundos de vários países do mundo, principalmente em preparos de legumes e molhos da culinária alemã, grega, italiana, mexicana e espanhola. Muito utilizado também para temperar pizzas, pimenta-malagueta, carnes, feijões, ovos, ensopados e molhos de salada. É também usado em em buquês, guarnições, cervejas, dentre outros. O Orégano ajuda a combater dores de cabeça causadas por problemas nos nervos. Use como um unguento, cataplasma ou compressa para tratar contusões, deslocamentos, inchaços, dores de cabeça e dores nas juntas. Use como erva de banho para gripes e resfriados. Faça inalações do chá para limpar pulmões congestionados. Mastigue as folhas ou aplique óleo essencial diluído para tratar dores de dente.
Salsa: É uma planta aromática, originária das regiões orientais da bacia mediterrânea. 
Utilizada na cozinha e para fins medicinais, é antioxidante e expectante. É rica em vitamina A, B1, B2, C, D, ferro e magnésio, isto se, a planta for ingerida a cru, caso contrário perde parte dos seus componentes vitamínicos.


Salvia: Seu chá é usado como digestivo e como líquido para bochechos e gargarejos, agindo contra gengivites, aftas e inflamações na garganta;
Tomilho: É uma das ervas favoritas na culinária italiana. Seu chá é bom para aliviar distúrbios intestinais e em gargarejos contra inflamações da garganta, bem como em xaropes para tratamentos de tosses e congestões respiratórias.

terça-feira, 10 de agosto de 2010


Quando a boca cala... O Corpo fala!





 
(Prestem atenção neste alerta que está colocado na porta de um espaço terapêutico)
 
 Muitas vezes:
 
- O resfriado escorre quando o corpo não chora.
- A dor de garganta entope quando não é  possível comunicar as aflições.
- O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
- O diabetes invade quando a solidão dói.
- O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
 -A dor de cabeça deprime quando as duvidas se aumentam.
- O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
- A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
- As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
- O peito aperta quando o orgulho escraviza.
- A pressão sobe quando o medo aprisiona.
- As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
- A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

 E as tuas dores caladas ? como elas falam no teu corpo ?

Mas cuidado.... Escolha o que falar, com quem, onde, quando e como !!!
Crianças é que contam tudo , para todos, a qualquer hora, de qualquer forma.
Passar relatório é ingenuidade.
Escolha alguém que possa organizar as idéias, harmonizar as sensações
e recuperar a alegria.

Todos precisam saudavelmente de um ouvinte interessado.
E , tudo depende principalmente do nosso esforço pessoal para fazer
acontecer as mudanças na nossa vida !!!
 
 

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

O custo do sucesso

                                                              (foto by Sandra Hasmann)
Se o sucesso não tivesse um custo, todo mundo seria um sucesso. Se as conquistas não tivessem um custo, todos seríamos conquistadores. Se a felicidade não exigisse dedicação, ela perderia o sentido. Temos a tendência de pensar em grandes conquistas levando em conta apenas o resultado final. Mas geralmente isso é só uma gota. A conquista mesmo está no fazer, no esforço, na dedicação, no custo exigido. Ter uma vida de sucessos não significa acumular troféus e prêmios, mas sim estar disposto a comprometer-se com o custo que esse sucesso exige.

Ser um sucesso exige esforço, dedicação, disciplina, foco, paixão, e muitas outras qualidades que não podem ser guardadas num armazém – mas que devem ser exercitadas em todos os momentos. No preço que você paga está o valor que você procura
(Desconheço a autoria. Se alguém conhecer, por favor me contate)

segunda-feira, 2 de agosto de 2010


Sapato Velho

Josias, um rapaz já de certa idade, pegou o ônibus e enquanto subia, um de seus sapatos se soltou e escorregou para o lado de fora.  O ônibus saiu rapidamente, e a porta se fechou sem que houvesse chance de recuperar o sapato 'perdido'.

Imediatamente, Josias retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.

Um rapaz no ônibus que observava a situação, sem poder ajudar perguntou: 
- Desculpe perguntar, mas por que jogou fora seu outro sapato? 
E Josias respondeu: 
- Pra que alguém o encontre e seja capaz de usá-los. Provavelmente apenas alguém realmente necessitado dará importância a um sapato usado encontrado na rua. E de nada lhe adiantará apenas um pé.

Quando desceu do ônibus em seu destino, Josias buscou uma loja, e comprou um novo par de sapatos.
 
Durante nossa vida é inevitável perder coisas. Muitas vezes estas perdas são penosas e supostamente injustas, porém certamente necessárias para que coisas novas e melhores possam acontecer.

Jogue fora idéias, crenças, maneiras de viver ou experiências que não lhe acrescentam nada e lhe roubam atenção e energia. Aproveite e tire do seu 'armário' aquelas coisas negativas que só lhe trazem tristezas, ressentimentos, mágoas e sofrimento.

O 'novo' só pode ocupar espaço em nossas vidas quando o 'velho' deixar de fazer parte dela.

(Recebi de um amigo, via email, e desconheço a autoria. Se alguém souber, por favor, me comunique )