segunda-feira, 12 de abril de 2010

Crônica

 “AS ARTIMANHAS DO INUSITADO”
                                                                              - de Sandra Hasmann –
                                                                
O inusitado traça suas artimanhas como a zombar da gente, e parece até que – com essa imaginação fértil que Deus de meu – consigo ouvir sua gargalhada às minhas costas...

Dia frio, céu cinzento e, de repente lá vem o Astro Rei, “nariz vermelhinho, olhos arregalados” como se tentasse acostumá-los à sua própria claridade, e tremendo de frio!!

-“Viva! Até que enfim, majestade, finalmente  me honras com o ar de sua realeza!! Já não era sem tempo!!”. E tal alegria não era desprovida de boa razão: dúzias e dúzias de roupa de molho no tanque, outro tanto batendo na máquina que mais parecia agonizar com aquele barulho “engasgado”, dando vez ou outra uns solavancos... E no chão, na fila de espera, mais algumas peças. E lá vou eu esfregar, enxaguar, torcer, sem perder de vista a evolução da lavada na máquina a meu lado, eu e ela, ela e eu, ambas no mesmo compasso, na mesma cadência quase musical, e o sol lá, tímido, meio que aborrecido, nos espionando: ”Oi amigão, guenta firme aí até a gente terminar senão não vai dar pé, né?!”.

E vamos nós, a água gelada querendo congelar minhas mãos, mas tudo bem: o sol está lá e me garante – creio eu – o calorzinho gostoso no corpo, até me atrevo tirar o agasalho, ficando só com a camiseta.. - “Vê lá, heim majestade, fica aí bonitinho, mantendo-me aquecidinha até eu terminar aqui!!!!”

Dentro de casa, nem é bom pensar. As filhotas resolveram dar uma mãozinha entre gritos, tapões nas orelhas umas das outras, birras da mais nova querendo participar, umas cem vezes de “MÃIÊEE”!!!!. Mas tudo bem, aos trancos e barrancos estão dando conta – a seu modo – do recado, e como dizia Irmã Dulce, nos meus tempos de interna no Colégio Santa Inês, “CEST LA VIE... Vivre et Laisser Vivre!! ( É a vida...Viver e deixar viver).

Bendita empregada!! Não podia ter esperado o verão pra se demitir?!

E lá vamos nós, maquina e eu, eu e a máquina ou... EU MÁQUINA?

Novamente um inusitado, novamente uma artimanha e... PUFF!! A maquina pifou de vez, “morreu”!! Agora sim, serei “eu máquina”. Mas vamos em frente, o sol ainda está lá, me aquecendo com seu olhar zombeteiro...

Deus meu, nunca esfreguei tanta roupa!! Três filhas e um marido às vezes batem de dez a zero um time de futebol!!!

E eis-me na cozinha, dando uma pausa para um cafezinho e o lanche das crianças. Que intervalo bendito!!

Pronto, agora vamos para o segundo tempo, ta na hora de torcer, ou seja, é a reta final só que...Não, não acredito!! Começou a chover?! É, triste realidade. Pôxa, Sol de araque, não dava p/ segurar a onda só mais um pouquinho?! Enfim, penduro a roupa na área coberta ( ainda bem que tenho uma..)

Agora sim, roupa limpa, casa nem tão limpa assim, cabeça... Limpa...?!

-“MÃIEÊ, a nenê fez cocô!!”


Nenhum comentário:

Postar um comentário