sábado, 9 de junho de 2012


Um jeito inovador de emagrecer



Aproveite essa dica excelente já que estamos no inverno: um novo estudo sugeriu que dar uma caminhada no frio após uma refeição pode levar a perda de peso.

Isso acontece porque o frio ativa a produção de gordura marrom (a “gordura boa”), que é encontrada naturalmente no nosso corpo, e consome calorias para produzir calor. Ou seja, quando as pessoas estão em um ambiente gelado, a gordura marrom entra em ação, queimando nossas calorias para nos esquentar.

E, caso você esteja com medo de ficar doente por conta de sair de casa com tempo frio, saiba que o frio não é responsável, sozinho, por causar doenças como o resfriado, por exemplo. O que acontece é que no frio as pessoas costumam passar mais tempo em ambientes fechados e a transmissão de vírus fica mais fácil. Também, alguns tipos de vírus da gripe se multiplicam mais facilmente no frio.

Então, na verdade você pode estar até mais seguro no exterior. Mas se agasalhe bem, porque hipotermia, sim, é um perigo real.

O frio e a gordura marrom
Os cientistas já conheciam um tipo de relação entre a gordura marrom e o frio, por conta de um processo chamado termogênese (que equilibra a temperatura do nosso corpo), com o qual ela está envolvida, por produzir muito calor. Os animais que hibernam, por exemplo, geralmente têm bastante gordura marrom.

Nos seres humanos, ela é importante principalmente nos primeiros meses de vida, pois protege o recém-nascido do frio excessivo. Quando a gordura marrom é estimulada pelo sistema nervoso simpático, presente nas terminações nervosas em torno das nossas células, oxida-se facilmente, gerando energia em forma de calor.

A descoberta de que a gordura marrom pode ser ativada somente pelo frio e levar a perda de calorias foi um pouco “acidental”.

O Dr. Aaron Cypess, do Joslin Diabetes Center, clínica que pesquisa a diabetes em Boston, EUA, e sua equipe queriam saber se a droga efedrina podia funcionar como um gatilho para a produção de gordura marrom, e a resposta a isso foi que não.

Os participantes do estudo receberam ou efedrina ou placebo, e todos usaram um colete para esfriar o corpo, no qual circulava água a cerca de 14 graus Celsius. Eles usaram os coletes de refrigeração por duas horas, enquanto a atividade de gordura marrom era medida.

Todas as pessoas queimaram o mesmo número de calorias, mas os pesquisadores descobriram “que a efedrina não estava usando a gordura marrom para queimar caloria”, como explicou o Dr. Cypess. Segundo ele, ambos os métodos tiveram efeitos no sistema nervoso simpático, que ativa a resposta de “luta ou fuga” do organismo, como o aumento da pressão arterial. Mas só o frio ativou a gordura marrom.

Essa foi uma ótima descoberta, pois significa que os pesquisadores podem encontrar uma maneira de explorar o frio sem os efeitos colaterais associados com drogas para combater a obesidade. Por exemplo, a efedrina pode causar boca seca, insônia, dor de cabeça, ansiedade, além de outros efeitos mais sérios, geralmente relacionados ao abuso da droga ou devido à pré-disposição a doenças do coração.

O Dr. Cypess acredita que um método de combate pode ser simplesmente projetar coletes de refrigeração parecidos com o do estudo para ajudar as pessoas a perder peso.

O próximo passo da pesquisa é descobrir se o colete pode ajudar as pessoas a perderem tanto peso quanto o exercício físico. Para tanto, os participantes terão que usá-lo por semanas. Então, antes de começar a morrer de frio por aí, espere para ter certeza de que a façanha funciona!!

(FONTE: http://hypescience.com/emagrecer-frio/)

Um comentário: