quarta-feira, 8 de julho de 2009

SAÚDE


Especialistas afirmam que 13% dos adolescentes já procuram por cirurgias plásticas no Brasil



Nos últimos anos, a busca por um corpo ou rosto perfeito tem aumentado significativamente. Hoje em dia, é difícil encontrar alguém que não tenha vaidade e se preocupe em se sentir bem esteticamente. No entanto, esta busca faz com que cresça também o número de pessoas que procuram cirurgias plásticas, sendo que os jovens vêm se destacando entre este público.

De acordo com dados da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), entre setembro de 2007 e agosto de 2008, foram realizadas aproximadamente 629 mil plásticas estéticas em todo o país, todas por profissionais especializados. E as plásticas em jovens com idades entre 14 e18 anos representam, pelo menos, 13% desse total.

Isto indica que mais de 100 mil jovens se submeteram a algum tipo de intervenção estética no período analisado. E entre os procedimentos mais procurados por eles destacam-se: rinoplastia (plástica no nariz), mamoplastia redutora (diminuição das mamas), mamoplastia de aumento (prótese de silicone), lipoaspiração, otoplastia (correção de orelhas de abano) e a ginecomastia (correção do volume das mamas masculinas).

Os especialistas da SBCP explicam que entre os motivos que levam ao aumento da procura dos jovens pela cirurgia plástica está a valorização excessiva da estética, com a ilusão de que o jovem tem de se enquadrar aos padrões estéticos predominantes na sociedade, e o desenvolvimento de novas técnicas que fazem com que a recuperação e o ato cirúrgico sejam mais seguros.

Sendo assim, os especialistas recomendam que os adolescentes que têm interesse em fazer cirurgia plástica procurem um cirurgião para detectar suas reais motivações e explicar todos os passos da cirurgia (internação, anestesia, cicatrizes, medicamentos, repouso pós-operatório e os resultados esperados), bem como as possíveis complicações associadas ao procedimento.

Além disso, é importante ressaltar que a opção pela plástica deve ser decidida pelo paciente, juntamente à orientação do médico, e com o consentimento dos pais. A cirurgia é indicada apenas se o jovem não consegue conviver com o problema, se o problema interfere em sua autoestima, ou se ele não conseguiu resolver o que o incomoda por outros métodos.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Portal Educação
http://www.portaleducacao.com.br/educacao/principal/noticia_view.asp?id=39295

Nenhum comentário:

Postar um comentário