segunda-feira, 14 de setembro de 2009

GUIA PARA INCAUTOS



Dicas para evitar que nosso nobre leitor caia em contos do vigário


As promessas são muitas, e fáceis. Mas não se engane: raramente a cura é fácil, barata e indolor, e riqueza sem esforço só se consegue ganhando na loteria (o que ainda assim custa dinheiro).

Seguem algumas observações úteis a manter em mente quando lhe oferecerem um novo método para "usar o lado direito do cérebro" ou "modificar suas ondas mentais":

1- Você já usa os dois lados do seu cérebro, sempre, e não importa se é homem ou mulher;

2- o lado direito do seu cérebro de fato cuida do lado esquerdo do corpo, mas tanto a emoção quanto a racionalidade, e também a linguagem e até a criatividade, dependem do trabalho coordenado dos dois hemisférios, e não de um só;

3- o fluxo de sangue no cérebro é regulado precisamente pela atividade mental, e massagens a qualquer parte do corpo (muito menos na testa) não o alteram;

4- pensamentos negativos não causam doenças como câncer e infecções (embora de fato reduzam a motivação e aumentem a percepção do estresse);

5- pensamentos positivos só ajudam porque trazem mais motivação e, com isso, mais chances de agirmos positivamente;

6- a melhor maneira de promover sua atenção, memória e aprendizado é... usando a atenção e a memória e aprendendo coisas novas. Não há almoço de graça para o cérebro.

Eis uma lista de algumas tentações comuns, por categoria:



1. Aparelhos que manipulam ondas cerebrais alfa



Sim, o cérebro produz atividade elétrica que varia em ondas. Sim, as ondas "alfa" existem: são oscilações elétricas da ordem de 10 a 15 ondas por segundo, características do cérebro em estado de repouso. Sim, qualquer programa de relaxamento, por definição, aumenta sua atividade alfa, como respiração profunda e massagem, ou simplesmente fechar os olhos.

Como ondas sonoras de 10 a 15 ciclos por segundo não são audíveis, não é razoável esperar que qualquer tipo de som aumente diretamente a atividade alfa do cérebro. Pelo contrário: estímulos sonoros por definição reduzem a atividade alfa, pois forçam o cérebro a processá-los...



2. Basta mentalizar e sua realidade muda

Sim, o pensamento tem o poder de mudar o cérebro: pensamentos otimistas aumentam a motivação e nossa chance de agir positivamente, e têm tudo para se tornar bons hábitos.

Mas pensamentos NÃO mudam a realidade externa ao corpo. A física quântica é uma área legítima da física e de fato considera que existe uma probabilidade calculável, ainda que ínfima, de que objetos como bolas e mãos consigam eventualmente atravessar paredes e sair intactos do outro lado - mas isso nada tem a ver com seus pensamentos e, ao longo de toda a sua vida, a probabilidade de que tudo o que você consiga ao socar a parede seja machucar a mão é superior a 99,999%. A pobre da física quântica, assim como a neurociência, é alvo fácil de aproveitadores que distorcem os fatos à sua vontade. Até onde a ciência sabe, colares de diamante não aparecerão em seu pescoço e cheques não surgirão no correio apenas porque você os mentalizou. Se você mentaliza e eles não aparecem, a explicação daqueles que defendem os poderes da mentalização é que... você não mentalizou o suficiente! Isso lhe parece razoável?




3. Seus pensamentos negativos são responsáveis por suas doenças

Sim, pensamentos negativos e estilo cognitivo/afetivo pessimistas são nocivos à saúde por diminuir a motivação, e com ela suas chances de realização e satisfação, e aumentar sua percepção do estresse. Doenças cárdio-vasculares (hipertensão, aterosclerose) e auto-imunes (como lúpus e artrite), por exemplo, são altamente influenciáveis pela maneira como respondemos ao estresse.

Mas considerar que a causa de doenças como cânceres e infecções são seus pensamentos negativos é, no mínimo, cruel com você mesmo. Sim, o fumo aumenta a probabilidade de cânceres variados - mas isso é um tipo de ação negativa, não pensamento negativo.

Igualmente nocivo à saúde é pensar que o pensamento positivo basta para curar cânceres e outras doenças que o corpo sozinho não consegue controlar. Se uma doença não é causada por pensamentos negativos, pensar positivo não deve curá-la. Sim, otimismo e pensamento positivo são ótimos por aumentarem suas chances de procurar ajuda de fato, e farão com que você se sinta melhor - mas nenhum estudo controlado demonstra que eles sejam curativos. Se parecem, lembre que muitas doenças são auto-limitadas e se curam sozinhas. Um resfriado comum, por exemplo, se resolve sozinho em de 5 a 7 dias, quer você tenha pensamentos positivos ou negativos, chupe manga ou tome bolinhas de açúcar...



4. Músicas que induzem "baratos" semelhantes aos de drogas variadas

Sim, ouvir música dá prazer ao cérebro, que se diverte tentando encontrar padrões e antecipar-se a eles. Sim, isso envolve a ativação do mesmo conjunto de estruturas responsáveis pela sensação de prazer induzida por drogas como maconha, nicotina e cocaína.

Mas não, a música não tem como induzir o mesmo grau de ativação do sistema causada pelas drogas, por uma razão simples: o prazer da música depende de ativação interna do sistema, quer dizer, por seus próprios meios e dentro de seus próprios limites, enquanto o prazer obtido com as drogas é extraordinariamente intenso porque é externo, causado diretamente pela ação de substâncias químicas sobre as estruturas do sistema de recompensa. Por isso ele é tão mais intenso do que os prazeres que dependem do trabalho do cérebro por seus próprios meios - e não há como ser imitado por música alguma.

(FONTE: http://www.cerebronosso.bio.br/guia-para-incautos/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário