quarta-feira, 4 de novembro de 2009


JULGAMENTO PRECIPITADO

a cabanaLi uma história que ilustra bem o título deste texto. “Eram quatro: o garimpeiro, a esposa, o filhinho e o cão. Depois ficaram três: a jovem esposa adoentada não suportou o rigoroso inverno e, muito doente, veio a falecer. Mas o trabalho não podia parar. Enquanto o garimpeiro procurava diamantes que lhe garantiriam o seu sustento, o cão ficava na cabana tomando conta do bebê.
Uma tarde, ao regressar à cabana, depois de uma caçada, o garimpeiro ouviu o latido do cão, que saiu porta afora e foi encontrá-lo. Mas o que era aquilo? O animal estava todo sujo de sangue.
O garimpeiro raciocinou rapidamente e concluiu ainda mais apressadamente: O cão foi atacado de hidrofobia, matou o bebê, agora vem em minha direção para atacar-me. Não titubeou. Apanhou a espingarda, apertou o gatilho, matando imediatamente o cão. Mas, e o bebê? Correu para a cabana e lá encontrou o menino dormindo tranquilamente, enquanto ao lado estava um lobo, morto pelo cão.”
O julgamento apressado, fruto das aparências, pode levar-nos a matar o melhor amigo, sacrificar as melhores amizades, prejudicar a comunhão entre os irmãos e até mesmo impedir a realização da vontade de Deus em nossas vidas e no seu Reino.
Que Deus nos livre do julgamento precipitado!!! Oremos como o salmista: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno. Amém.” (Salmo 139:23,24).
Que o Senhor assim nos abençoe. Amém.

FONTE: http://prvitorhugo.wordpress.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário